Depressão /

Terça-feira, 28 de Julho de 2015, 16h:30

A | A | A

EM BUSCA DA FELICIDADE

Basta começar uma conversa, que às vezes, nem precisa ser muito longa para se perceber que muita gente ou está, ou conhece alguém que está com depressão


 

 

Você já reparou que está todo mundo deprimido? Será que mais ninguém consegue ser feliz? Basta começar uma conversa, que às vezes nem precisa ser muito longa para se perceber que todo mundo ou está, ou conhece alguém que está com depressão. E o que era uma situação incomum, hoje é rotina na vida da maioria.

 

Quase todo mundo toma ou já tomou algum antidepressivo, todos querem experimentar as “pílulas magicas da felicidade”. Que engano! Felicidade não vem num comprimido, ser feliz dá trabalho, implica em lutar, em todo dia sair da cama e correr atrás do que se quer, seja lá qual for o seu desejo.

 

Alias, creio que grande parte do problema da “depressão” que vemos por ai está na dificuldade em reconhecer o que se deseja, e na falta de coragem de ir atrás quando se descobre o que se quer.

 

O desejo reconhecido, aquilo que se quer alcançar, seja um sonho, um projeto, um plano, pra isso tudo basta correr atrás, estudar mais, se esforçar mais, mudar, procurar, se organizar, seja o que for, querendo dá-se um jeito!

 

Mas e aquilo que se deseja inconscientemente? Quando só o que se sente é a frustração, um vazio, uma tristeza mesmo estando tudo aparentemente em ordem. O desejo inconcebido é um problema. Já vi pessoas muito inteligentes quebrando a cara na vida por não compreenderem que todo esforço que fazem para serem reconhecidas vai ser sempre pouco, se não compreenderem quem de fato querem agradar. Às vezes é o pai autoritário, que não reconhecia o valor do seu pequeno filho. Às vezes a mãe exigente, que independente de todo esforço era impossível agradar, e por incrível que parece, faz com que ainda hoje, mesmo a pessoa já sendo um adulto, viva tentando provar seu valor.

 

Felicidade é reconhecida como um estado de completude, de não ter falta de nada. “Uau, mas que difícil” você deve estar pensando! E é! Na verdade praticamente impossível. Por isso digo que dá trabalho.

 

Comece tentando diminuir suas demandas. Tentar suprir as necessidades como comer, dormir, estudar, trabalhar, relacionar-se, podem nos dar a sensação de satisfação, mas não trazem felicidade.

 

O desejo é um constante buscar, e enquanto busca, o homem constrói, e destrói se considera que pode fazer melhor, e assim, torna a reconstruir, e desta forma, na busca de algo melhor e mais aprimorado, foi construída toda cultura e a civilização.

 

Perceba que a insatisfação humana não é de todo ruim, de algum modo é ela que move o mundo, mas não combina com a felicidade vendida nos comerciais de margarina.

 

Suporte isso, e aceite que nem toda tristeza é doença, que nem sempre tem remédio. Precisamos aprender a conviver com ela, a nos permitirmos ficar tristes, um dia, uma semana, sabendo que vai passar, que uma hora você terá que levantar a cabeça e buscar o algo que lhe falta.

 

Mas, se persistirem os sintomas, e você não souber o que lhe falta, procure ajuda profissional, talvez você esteja mesmo doente, e por ser um ser desejante, alguém, algum dia, inventou os remédios para depressão.

 



 

Milene Teixeira
Psicanalista

 

 

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!