Nacional /

Segunda-feira, 27 de Janeiro de 2020, 22h:30

A | A | A

Maioria dos paulistanos não participa da política municipal

arrow-options Fábio Vieira/FotoRua/Agência O Globo De acordo com o "Viver em SP", seis em cada dez paulistanos não participam de atividades políticas...


Imagem de Capa

Agência Brasil

política arrow-options
Fábio Vieira/FotoRua/Agência O Globo
De acordo com o "Viver em SP", seis em cada dez paulistanos não participam de atividades políticas da cidade

Apesar de viverem em uma cidade que encabeça grandes manifestações nacionais no campo da política, a maioria dos paulistanos não participa da própria vida política do município. O contraste entre a São Paulo que norteou, por exemplo, as Jornadas de junho de 2013, e a que não se lembra em que vereador votou na última eleição, ficou evidente na pesquisa da Rede Nossa São Paulo, divulgada nesta semana.

Leia mais: Aras dá cargo de R$9 mil a sobrinha de seu braço direito na Procuradoria

Segundo o levantamento “ Viver em SP ”, aproximadamente seis em cada dez (57%) paulistanos declararam não participar de nenhuma atividade voltada à vida política da cidade. Por outro lado, 5% disseram participar de alguma associação comunitária ou de moradores, sociedade de amigos do bairro ou movimento social. e 4% afirmaram participar de audiências públicas presenciais ou de congressos, palestras ou debates que discutam a cidade.

A maioria absoluta dos paulistanos também não se envolve com ações da Câmara dos Vereadores. Apenas 4% disseram ter participado, nos últimos 12 meses, de alguma atividade da casa legislativa municipal e 63% afirmaram não lembrar em qual vereador votou nas últimas eleições.

“A participação da vida política acaba ficando em segundo plano. Ela é secundária, dado que a gente tem a maioria da população não participando, não se envolvendo em medidas que poderiam contribuir para a qualidade de vida na cidade de São Paulo como, por exemplo, os conselhos participativos, as audiências públicas”, destaca Márcia Cavallari, CEO do Ibope Inteligência, instituto que realizou a pesquisa.

Leia também: Feliciano chama Bebianno de político Big Brother, que rebate: "Explorador de fé"

Para o coordenador-geral do Instituto Cidades Sustentáveis, Jorge Abraão, a pesquisa mostra que existe falta de espaços para que a sociedade possa, concretamente, participar da vida política do município e os poucos que existem não têm poder decisório.

“Quase que existe um processo de desdém, de esquecimento em relação à política [por parte da população de São Paulo]. E isso é grave. Nós temos que efetivamente criar processos para que a gente não tenha participação somente de quatro em quatro anos. E que tenha uma relação muito mais forte da sociedade que quer participar”, afirma.

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
Você é a favor ou contra a privatização da MT 130 sentido Paranatinga?
A favor
Contra
Tanto faz