BLOG PSICANALISAR /

Quinta-feira, 12 de Maio de 2016, 15h:20

A | A | A

SUA FELICIDADE ESTÁ NAS MÃOS DE QUEM?

Relacionamentos não são para dar trabalho todo tempo, eles existem para agregar valor na sua vida.


Imagem de Capa
Milene Teixeira

 

 

Vivemos um momento contraditório na história da humanidade. As pessoas estão conquistando espaços na sociedade, mostrando que não há limites de gênero para quem quer batalhar seu lugar ao sol, e assim, indo a luta por sua independência financeira, cultural e social. No entanto, ainda carregamos, homens e mulheres, uma falsa crença de que não se pode ser feliz sozinho, que PRECISAMOS de amparo, companhia e atenção uns dos outros para sermos plenos.

Percebeu o grifo em PRECISAMOS? A crença falsa esta ai! Não precisamos!

Essa falsa ideia de incompletude, de necessidade é que está equivocada, pois passa uma imagem de fragilidade de quem está só, e acaba gerando adultos imaturos. É natural que as crianças precisem de quem as cuide, e esperado que doentes aceitem ser dependentes de cuidado, mas em adultos isto caracteriza uma patologia pouco falada, mas bastante comum.

Você sente que tem alguém que precisa mais de você que você mesmo? Sente dificuldade em aceitar elogios ou receber presentes? Sente dificuldade em assumir responsabilidades? Sente um vazio quando está sozinho? Sente dificuldade para expressar sentimentos e só aceita ajuda em último caso? Tem dificuldade em emitir opinião contraria as outras pessoas? Culpa os outros ou mente para evitar de assumir as consequências de seus atos? Acredita que se os outros mudassem a sua vida seria melhor? E quando você resolve os problemas delas sente-se muito bem? Talvez você sofra de CO-DEPENDENCIA ou DEPENDENCIA AFETIVA.

Mulheres são mais propensas a este mal, pois desde pequenas são estimuladas a dar mais importância aos relacionamentos, e se juntar a isso uma baixa autoestima, uma sensação de não ser merecedora e de inferioridade, tem-se a combinação ideal para se ter uma pessoa que acredita que não pode ser feliz sozinha e portanto, fará qualquer coisa para manter seus relacionamentos.

O co-dependente tende a ter um comportamento excessivamente passivo. Aceita tudo que o outro faz, porque acredita que não pode viver sem aquele relacionamento. Isto pode acontecer entre casais, onde caracteriza um relacionamento de grande sofrimento e risco, pois o co-dependente demanda muito ao par, tende a ser ciumento e passional, e cede muito em benefício do outro, o que pode levar a situações de abuso psicológico e físico.

Também acontece nas relações de filiação, especialmente mães que colocam seus filhos como centro de suas vidas. Neste caso, o prejuízo pode aparecer no caráter da criança, que cresce sem limites, ou muito reprimida, sufocada por uma mãe extremamente protetora.

O certo é que quem tende a sofrer desta patologia, terá sempre uma inclinação a desenvolver vínculos de dependência em todos os relacionamentos, vitimando-se e subjugando-se. Por isso é importante reconhecer que se você não está conseguindo controlar suas escolhas, que vive preocupado com seus relacionamentos e suas prioridades estão sempre nas necessidades dos outros, você precisa de uma mudança de atitude.

Comece compreendendo que esta condição de dependência não é real, avaliando suas perspectivas e possibilidades, buscando ajuda profissional se julgar necessário. Levante a cabeça e olhe além, veja se você não pode muito mais do que está fazendo por você! Pare de colocar sua felicidade nas mãos dos outros e lute pelo que quer, com coragem e determinação, assumindo os riscos, e admitindo as possibilidades de erro, isso é o que se espera de um adulto.

Quanto melhor você for sozinho, melhor será em um relacionamento! Então, aprenda a ser feliz sozinho.

 

 

 

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!