propaganda

ESPORTE /

Segunda-feira, 30 de Novembro de 2020, 06h:30

A | A | A

Time campeão da Copa Centro América, luta para conseguir apoio

Após a competição, o técnico fez um desabafo pela falta de apoio que o esporte recebe do poder público


Imagem de Capa
Wellington Camuci

Com a vitória em uma das mais importantes competições de futsal adulto do estado de Mato Grosso, Copa Centro América de Futsal Feminina 2020, as atletas da Associação Primaverense de Esportes, Cultura e Lazer – Apec se preparam para a Taça Brasil de Futsal que acontecerá em 2021. Mas, para isso, precisam de ajuda.

Após a final que aconteceu no dia 22 de novembro em Santo Antônio de Leverger, em um emocionante desabafo, o técnico Cristiano Paiva, que treina as meninas voluntariamente, falou sobre as dificuldades que o esporte enfrenta em Primavera do Leste, cidade que, além das craques do futsal, despontou a campeã mundial de canoagem, Ana Sátila.

Contando com a ajuda de empresários locais, pais e amigos, a Apec luta para conseguir manter a qualidade e padrão, treinando em quadras cedidas, alugadas e emprestadas. A equipe de reportagem do Jornal O Diário conversou com o técnico Cristiano Paiva para saber mais sobre essas dificuldades e da repercussão do seu desabafo.

 

Jornal O Diário: Como foi conseguir ser finalista nessa competição e como é o trabalho com as meninas da Apec?

Cristiano Paiva: Na verdade, é um trabalho que a gente vem realizando, a Apec ela iniciou em 2014, mas o meu trabalho com o futsal em Primavera ele vem desde 2008, são 12 para 13 anos que já estamos sendo reconhecidos a nível de estado. Acredito que tivemos uma repercussão bem bacana agora por ser uma competição importante do estado, a Centro América que vale vaga para Taça Brasil. É um trabalho que é voluntário no momento, eu não ganho nada para isso, nós reiniciamos agora faz três meses com trabalhos lá no gramado no lago, seguindo as regras com a Covid, tudo certinho, questão de três alunos no começo depois a gente foi aumentando, aí nós conseguimos dois horários numa quadra do município, que foi a única ajuda que nós tivemos. Aí nós começamos a fazer vaquinha para poder alugar mais dois horários na quadra São Francisco e alguns horários, os últimos, foi tudo eu quem paguei. Por isso o desabafo na questão do esporte, acredito que parou muita coisa durante esse período, mas o esporte ele deveria seguir. Depois que retornamos os trabalhos a gente nota que a cidade está parada com o esporte. As outras cidades nós vimos ônibus lá de Paranaíta, ônibus de Sinop, Cuiabá e nós indo de ônibus locado, acho que faltou isso da iniciativa pública.

Jornal O Diário: Falando nessa questão de incentivo para com o esporte aqui em Primavera, o senhor acredita que o poder público não investe em qualquer área do esporte?

Cristiano Paiva: Nós tivemos uma reunião com o nosso prefeito e eu até falei dessa competição que nós iríamos participar no mês de novembro e aí ela comentou da questão política, que não daria para ajudar, mas ele também comentou que quando ele assumiu ele melhorou acho que 13 quadras de vôlei, agora está construindo o centro esportivo lá no Primavera III, isso aí é louvável, mas assim, não adianta a gente ter espaço físico e não ter profissionais para trabalhar. Então aí nós vamos criar elefantes brancos, porque eu acredito que o esporte ele precisa da estrutura física, mas também de profissionais que entendam de esporte.

Jornal O Diário: Quais os próximos passos agora depois desta vitória?

Cristiano Paiva: Final de ano agora, nós fechamos um convênio com uma academia, o pessoal agora vai dar esse suporte para gente também, nós ganhamos oito bolsas para as meninas estarem se preparando agora que praticamente tudo para, para não voltar com as meninas acima do peso, então vamos tomar cuidado com essa questão. E no final de janeiro, início de fevereiro nós temos aí a MT Camp que vale vaga para a Copa do Brasil e o ano que vem tem Taça do Brasil, primeira vez que uma equipe do interior vai participar de uma competição dessa na categoria adulto.

JORNAL O DIÁRIO: O que participar desta competição deixa de lição?

Então nós quebramos aí uma hegemonia da capital, a nossa final já foi Sinop e Primavera do Leste. E acredito que essa conquista deixou um legado, porque o pessoal lá de Paranaíta, o pessoal de Cuiabá, eles querem conhecer a nossa estrutura e querem conhecer o nosso trabalho, porque o que foi demonstrado dentro de quadra foi algo assim que eu até mandei para um pessoal do Paraná, eles até falaram “Pô, pode participar de competições aqui que vocês vão jogar no nível das meninas que jogam a Taça Paraná. Então foi bem gratificante ouvir isso de pessoas que fizeram a pós-graduação agora no início do ano comigo, então eu vejo que o trabalho está dando resultado.

Algumas pessoas nos procuraram pela questão do uniforme, acredito que agora a gente vai ter um uniforme de passeio e dois uniformes de jogos. Até então, a gente ia para viagem cada um de uma cor, não tinha esse suporte ainda, mas a procura está sendo bacana e a gente tá sendo bem visto, bem quisto pela cidade e, assim, o apoio de muita gente, muita gente mandando mensagem, então nós estamos num ritmo bem legal agora.

 

Jornal O Diário: E quem quiser ajudar, como pode fazer?

Cristiano Paiva: Quem quiser ajudar pode ligar no meu celular, o número é (66) 9 8413 4530.Toda ajuda é bem-vinda porque a gente quer agora confeccionar uniformes, quer manter um padrão que o pessoal acha lá que a gente tem e agora a gente quer realmente ter. A gente precisa da iniciativa privada, se o poder público puder ajudar, a gente está de braços abertos. Eu fiz um desabafo, mas foi tudo que estava meio engasgado, mas a gente está aberto a novas propostas para gente guinar e melhorar o esporte cada vez mais na nossa cidade.

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
Caso a vacina para a Covid-19 seja liberada no Brasil, você pretende tomar?
Sim, se for a Chinesa
Sim, se for a Russa
Sim, se fosse outra
Nem pensar
Não tenho opinião formada sobre o assunto