propaganda

CESTA BÁSICA /

Sábado, 27 de Outubro de 2012, 05h:00

A | A | A

Preço da cesta básica fica mais salgado para o consumidor

Pesquisa revela que valor da cesta básica no Mato Grosso é o maior entre as principais capitais do Brasil


Redação: Janine de Oliveira
Produtos que compõem a cesta básica apresentam aumento significativo no bolso do consumidor desde fevereiro
Os trabalhadores de Mato Grosso precisam trabalhar, pelo menos, por duas semanas para pagar o valor médio cobrado na cesta básica. A composição essencial para alimentação de uma família com quatro pessoas, que recebe um salário mínimo como renda mensal, ficou em cerca de R$ 321,05 em setembro deste ano, de acordo com dados do Instituto Matogrossense de Economia Agropecuária (Imea).
Em fevereiro o preço da cesta básica era de R$ 298,05. Um estudo da Federação da Agricultura e Pecuária de Mato Grosso (Famato), aponta que o valor atual é o maior se comparado ao que foi cotado nas cidades de São Paulo (R$ 309,08), Porto Alegre (R$ 311,44) e Florianópolis (R$ 310,92), Brasília (R$ 298,39) e Goiânia (R$ 258,20).
Dentre os vilões do aumento está o tomate, que teve aumento de 47% entre fevereiro e setembro deste ano, representando 15% do custo total do aglomerado de produtos, seguido pelo arroz com aumento de 42%. Outro produto da cesta básica que puxa o aumento é a farinha de trigo com 12,07% e o feijão com 15% de aumento no período. Com base no maior valor apurado para a cesta no período, de R$ 311,44, em Porto Alegre, e levando em consideração o preceito constitucional que estabelece que o salário mínimo deve ser suficiente para garantir as despesas familiares com alimentação, moradia, saúde, transportes, educação, vestuário, higiene, lazer e previdência.
O Dieese calculou que o salário mínimo deveria ter sido 4,21 vezes maior do que o piso vigente no Brasil, de R$ 622 mensais.

Valores da Cesta Básica em Primavera variam de R$ 54,89 a R$ 83
A reportagem de O Diário e Cliquef5 buscou informações sobre os valores da cesta básica em Primavera do Leste.
Nos três locais pesquisados tomamos como base uma cesta montada com 15 itens essenciais para uma família de quatro pessoas.
O valor mais alto pesquisado foi de R$ 83 e o mais baixo de R$ 54, 89.
No entanto, os valores variam conforme a qualidade e marca dos produtos. Um dos estabelecimentos organiza a cesta conforme a necessidade do consumidor e as marcas solicitadas.
Nessa pesquisa foi considerada uma variedade de produtos como feijão, arroz, óleo de soja, macarrão, farinha de trigo, fubá, açúcar e café.
Na maioria dos estabelecimentos existem duas opções de cestas com valores diferenciados tendo como base quantidade e qualidade dos produtos, apenas um dos locais possuía item de limpeza pessoal na lista.
Seguindo a tendência nacional o tomate também registrou aumento chegando a custar R$ 4 em setembro, a baixa está sendo gradual desde o início do mês de setembro.

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
Você é a favor ou contra a privatização da MT 130 sentido Paranatinga?
A favor
Contra
Tanto faz