NA JUSTIÇA /

Segunda-feira, 20 de Janeiro de 2020, 07h:00

A | A | A

MP concorda com transferência de Bruno para time do Mato Grosso

Operário Várzea-grandense pediu autorização judicial para contratar o goleiro


Imagem de Capa
Da Redação

O Ministério Público de Minas Gerais não vai colocar obstáculos na possível contratação do goleiro Bruno Fernandes pelo Operário Várzea-grandense, time do Mato Grosso. O documento obtido pela reportagem foi entregue na quarta-feira (15) pelo promotor Aloísio Rabelo de Rezende na Justiça de Varginha, no Sul de Minas, onde o atleta cumpre pena no regime semiaberto.

Considerando que a obtenção de trabalho foi uma das condições assumidas para o cumprimento da pena no regime semiaberto em prisão domiciliar e tendo em vista a profissão que sempre exerceu o reeducando e o teor da proposta de emprego o por ele apresentada, o Ministério Público não se opõe ao requerimento”, diz o ofício.

Por meio da assessoria de imprensa, o Tribunal de Justiça de Minas Gerais informou que junto com o pedido de trabalho, o clube de Mato Grosso pediu a transferência da execução da pena de Bruno para a cidade de Várzea Grande.

Como o Ministério Público já se manifestou no processo, o pedido seguiu para o juiz Tarciso Moreira de Souza decidir se aceita ou não a solicitação.

 

CONTRATAÇÃO

A negociação foi conduzida por Roberto Moraes, diretor de futebol da equipe mato-grossense e dirigente do Boa Esporte que, em 2017, foi o primeiro clube de Bruno após ser preso. O clube mineiro tem, inclusive, parceria com o Operário VG, também conhecido como Chicote da Fronteira, que durante a pré-temporada chegou a treinar com uniforme do time de Varginha, além de um jogo-treino entre as equipes.

Procurado pela reportagem, Rone Moraes, presidente do Boa e irmão de Roberto, negou, entretanto, que existe parceria entre as instituições. O possível novo clube de Bruno tem calendário cheio em 2020. O Operário VG disputará o campeonato estadual, a Copa do Brasil e a série D do Brasileiro. O acerto com o clube mato-grossense vem depois de alguns clubes desistirem da contratação depois de repercussões negativas.

No início do ano, em entrevista exclusiva ao Super FC, Bruno disse que precisava trabalhar para sustentar a família e pagar pensão. “Preciso sustentar minha família e ainda pago pensão. Como vou fazer se não voltar a trabalhar? Quem vai pagar minhas contas? Quem vai colocar comida na minha mesa? Como vou fazer pra sustentar minha família? Então tenho que trabalhar. E a própria sociedade cobra isso (trabalho) dos presos. Por que comigo as coisas são diferentes? Só quero trabalhar”, disse.

O goleiro lembrou também casos de famosos que tiveram a permissão da Justiça para voltarem ao convívio social através do trabalho. “O Jobson teve um problema sério com a Justiça e teve autorização de voltar a trabalhar, assim como cantor Belo e outros tantos famosos no Brasil. Meu caso não é diferente”, afirmou.

 

NOTA DE REPÚDIO

O Conselho Estadual dos Direitos da Mulher de Mato Grosso emitiu uma nota de repúdio contra a chegada do feminicida e afirmou que a mensagem que fica subentendida com o interesse do time pelo ex-goleiro é de o feminícidio é tolerado pela sociedade. A mensagem também foi compartilhada pela presidente do Conselho Municipal da Mulher de Primavera do Leste.

Para o conselho, mesmo tendo cumprido parte da pena pela morte de Eliza e obtido na Justiça progressão de regime para o semiaberto, a gravidade dos crimes cometidos por Bruno requerem que ele seja tratado com “severidade e rigor” e não como “se fosse um ídolo que merece ser disputado por clubes de futebol”.

“Trata-se de alguém que demonstrou profundo ódio e total desrespeito às mulheres ao tratar dessa forma cruel e bárbara aquela que seria a mãe do seu filho”, diz trecho da nota.

O conselho também leva em consideração que, através do esporte, ídolos são criados e servem de inspiração para crianças e jovens em processo de informação. Os altos índices de violência contra mulheres no Brasil e em Mato Grosso foram destacados como um dos pontos negativos da contratação de um feminicida.

 

Com informações Super F.C

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
Você é a favor ou contra a privatização da MT 130 sentido Paranatinga?
A favor
Contra
Tanto faz