EFEITO COVID-19 /

Segunda-feira, 23 de Março de 2020, 15h:49

A | A | A

Medidas são tomadas para conter avanço do Covid-19

Decreto fecha equipamentos públicos e delimita número de pessoas em bares, lanchonetes e restaurantes.


Imagem de Capa
Jaqueline Hatamoto

Já são 08 casos suspeitos de Coronavírus em Primavera do Leste. A prefeitura municipal tomou medidas que visam evitar a aglomeração de pessoas, entre elas está o fechamento de quadras esportivas e a suspensão da realização de eventos. O comércio continua funcionando, porém, também há algumas medidas que devem ser adotadas.

 

Já mostramos em reportagens que igrejas, restaurantes e até mesmo mercados tem encontrado medidas de atender os clientes, sem que estes precisem sair de casa. Os bancos também, encontraram algumas alternativas para atender. A Caixa Econômica, por exemplo, está limitando o número de clientes que entram na agência e todos que vão ao banco tem que manter a distância de pelo menos um metro e meio.

O prefeito de Primavera do Leste, Leonardo Bortolin, ressaltou em entrevista, que as medidas são tomadas de acordo com a evolução ou não do Coronavírus. “Do mesmo jeito que o quadro pode melhorar, ele pode se agravar. Mas não adianta várias medidas preventivas senão temos a prevenção”, frisou.

Entre as medidas adotadas pelo poder público, está o fechamento de todas as quadras e equipamentos públicos destinados a prática esportiva na cidade. “Eu particularmente quero fazer um apelo a juventude, eu utilizo essas quadras, mas neste momento não podemos aglomerar. Já tivemos problemas de pessoas que tentaram depredar uma quadra por ela estar fechada, tivemos problemas com o vigia, então quero fazer esse apelo à população que respeitem essas regras. Temporariamente esses espaços estão proibidos de serem utilizados”, destacou.

O prefeito ainda solicitou aos pais que mantenham as crianças em casa. “As aulas foram suspensas pois as crianças são um público vulnerável. Assim como os idosos. E estamos recebendo fotos de crianças brincando juntas em um bairro como se fosse férias coletivas. É necessário que a população entenda que é algo grave e preocupante”, expôs Léo.

Em relação aos bares e lanchonetes, o prefeito destacou que é preciso se pensar no fator econômico, sem deixar de lado os cuidados necessários. “Temos que entender que há um fator econômico, orientar que quem esteja no grupo de risco utilize os serviços de delivery, não se expor no ambiente mesmo que seja aberto. Que estes locais que permaneceram abertos que façam um espaçamento entre as mesas e tenham um cuidado redobrado com a higienização.  Essas medidas são hoje, mas pode ser que em breve possa mudar”, ponderou.

 

CASOS SUSPEITOS

Mônia Maia, coordenadora da Vigilância Epidemiológica de Primavera do Leste, expôs que na cidade há 08 casos suspeitos de Coronavírus. A profissional destacou que os casos são classificados de acordo com o que preconiza o Ministério da Saúde. “A suspeição está baseada de acordo com o critério definido no pelo Ministério da Saúde que é algo que tem mudado, desde o início da pandemia, e todos estão classificados dentro destes casos vigentes, então se mudar o critério, podemos ter mais ou menos casos”, ponderou.

Os casos registrados na cidade se encontram em isolamento domiciliar, e se tratam de pessoas que estiveram em outras regiões, sendo assim é possível afirmar que não há casos em Primavera do Leste de contagio comunitário.

Em relação a triagem de casos feitas por telefone, Mônia destacou que o procedimento é baseado em protocolos do Ministério da Saúde. Até a sexta-feira mais de 200 pessoas haviam ligado nos números disponibilizados pelo município. “Fazemos a triagem e orientamos as pessoas sobre o que ela deve fazer. Se for o caso uma equipe do ESF da região que ela mora ira até a casa dela para examinar”, explicou.

 

 

Entenda porque casos de coronavírus só podem ser considerados positivos após exames no Lacem-MT

Mato Grosso teve oficialmente o primeiro caso de coronavírus reconhecido pelo Governo Estadual na noite desta quinta-feira (19.03), após a liberação do resultado do exame de contraprova que foi realizado no Laboratório Central (Lacem-MT).

A unidade ligada à Secretaria de Estado de Saúde (SES-MT), é responsável pela análise de amostras dos casos suspeitos da infecção por coronavírus, conforme estabelecido pelo Ministério da Saúde.

Nas últimas semanas, a imprensa local divulgou a confirmação de casos positivos para Covid-19 com base nos resultados divulgados por hospitais da rede particular e outras unidades públicas do município. Porém, todas as Notas Informativas divulgadas pela Secretária de Estado de Saúde (SES-MT) mostraram que o Estado continuava sem casos confirmados.

Os casos só podem ser considerados positivos quando o laboratório do hospital (rede pública ou privada) é validado pelo Ministério da Saúde. Quando não há reconhecimento do credenciamento da unidade junto ao órgão de saúde, as amostras coletadas do suposto infectado devem ser encaminhadas para o Lacen-MT, que ficará responsável por repetir o exame. Somente após a realização de um novo exame é que o resultado será reconhecido oficialmente para ser contabilizado no quadro de monitoramento, seja negativo ou positivo.

Esse fluxo foi desenhado na Nota Técnica Nº 02, que também explica como é feita a coleta para o exame laboratorial.

 

REDE SUS

Na rede do Sistema Único de Saúde (SUS), a orientação da SES é que a pessoa com histórico suspeito e sintomas graves (febre e dificuldades para respirar) procure a unidade básica de saúde mais próxima de sua residência, pois, conforme o Ministério da Saúde, essas são as unidades de saúde porta aberta para os primeiros atendimentos dos casos.

Ao chegar na unidade, o paciente deve narrar, durante a consulta, os sintomas que possui. O profissional médico irá identificar se o caso tem potencial para ser suspeito. Se sim, a unidade irá notificar o caso como suspeito à equipe da Vigilância Epidemiológica Municipal da respectiva cidade.

Depois desse procedimento, o médico solicita a coleta de amostra biológica para exames de Biologia Molecular (RT-PCR), que detecta a presença ou não do vírus SARS COV 2 ou de outros vírus respiratórios. São coletados a amostra de Aspirado nasofaríngeo (ANF), Swabs combinado (Rayon nasal/oral) e a amostra de secreção respiratória inferior (escarro, lavado traqueal ou lavado bronco alveolar).

O Lacen irá analisar o material e se der negativo para outros vírus, como H1N1 e Influenza A, o próprio laboratório do Estado encaminha as amostras para um laboratório de referência nacional, que vai validar o resultado da análise feita pelo Lacen.

As etapas de análise da amostra levam até cinco dias para serem concluídas. Passado esse período, o resultado é lançado no sistema do Ministério, que publica gradativamente, na Plataforma IVIS, a confirmação da infecção pelo novo coronavírus.

 

FLUXO NA REDE PARTICULAR

A Vigilância Estadual esclarece que o protocolo para confirmação do vírus em pacientes que optem por procurar o atendimento em uma rede particular não é diferente. Laboratórios particulares que sejam validados pelo Ministério da Saúde têm a autonomia no prosseguimento do diagnóstico.

Já no caso dos laboratórios particulares que não são validados pelo Ministério, as amostras serão divididas, aliquotadas. Uma será analisada na própria unidade privada e a outra é enviada ao Lacen, que analisará o material e enviará, assim como nos casos suspeitos atendidos pela rede pública, para o laboratório de referência nacional – que é responsável pela validação do resultado.

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
Você é a favor ou contra a privatização da MT 130 sentido Paranatinga?
A favor
Contra
Tanto faz