CAIU NA REDE /

Quarta-feira, 20 de Maio de 2020, 14h:55

A | A | A

Comitê Estratégico identifica autor de áudio falso sobre o Coronavírus

Trata-se de um funcionário público, processo administrativo foi aberto


Imagem de Capa
Jaqueline Hatamoto

A prefeitura de Primavera do Leste identificou o autor de um áudio, que gerou o compartilhamento de mensagens falsas sobre uma suposta infecção coletiva e também alertava que o município estaria com leitos lotados. Trata-se de um funcionário público e por isso será instaurado um processo administrativo.

 

Advanilson Sampaio, chefe de gabinete, disse em entrevista, que após os áudios começarem a ser espalhados via redes sociais, algumas pessoas identificaram que o servidor havia feito um áudio semelhante ao compartilhado. Ao ser perguntado o homem não negou o fato, dizendo que se baseou em informações que teve acesso e tinha como objetivo sensibilizar as pessoas para que elas ficassem em casa. “Ele compartilhou em alguns grupos e as pessoas tinham o número dele. E ele também quando foi identificado não negou a informação ao secretário da pasta, e assumiu a gravação do áudio, e disse que não tinha o intuito de prejudicar e criar pânico nas pessoas. A ideia do áudio era sensibilizar as pessoas a ficar mais em casa, isso causou um degaste muito maior, pois colocou em cheque um trabalho todo que a gestão vem fazendo. Um trabalho sério e transparente”, comentou Sampaio.

O chefe de gabinete ressaltou ainda que o funcionário não ocupa cargo dentro da Secretaria de Saúde, e que ao contrário do que foi disseminado não tem acesso a dados e nem a números sobre o Coronavírus. “Não é um funcionário ligado à Secretaria de Saúde, é de outra pasta. Isso prova mais uma vez que ele não tem acesso a essas informações que são restritas. Quem tem acesso aos dados são membros da equipe da Vigilância Epidemiológica”.

Como o servidor alega que os dados foram tirados de uma informação oficial, um processo administrativo será aberto, onde o funcionário poderá provar de onde tirou as informações. “Como partiu de uma informação, que ele alega que foi oficial, será aberto um processo administrativo contra o servidor, já estamos finalizando o encaminhamento deste processo. Ele terá a possibilidade de se explicar. Terá a possibilidade de defesa e provar que é verdadeira a informação que ele forneceu. Se for falsa ele terá a punição necessária”, explicou Sampaio.

Apesar de haver uma lei que prevê multa para quem divulgar notícias falsas (Fake News) sobre epidemias, endemias e pandemias em Mato Grosso. O chefe de gabinete, disse que por enquanto a Polícia não deve ser procurada. “Como somos órgãos públicos. A conduta com o servidor público vai até o processo administrativo. Posterior a finalização do processo, o próprio inquérito administrativo ele faz a indicação da conduta que deve ser tomada. A conduta nossa por se tratar de funcionário é seguir esses trâmites, não podemos puni-lo direto sem passar por esse processo administrativo”, explicou.

O trâmite de um processo administrativo segundo Sampaio, demora de 30 a 45 dias e há uma equipe que cuida exclusivamente deste tipo de ação. “A pena para o servidor vai desde uma advertência podendo chegar a exoneração. Isso é feito por uma equipe própria que só trabalha com esta questão”.

 

SOBRE AS MENSAGENS

Uma voz feminina dizia que essas informações teriam sido obtidas com um servidor público de Primavera do Leste. O áudio relatava que o município já não tinha mais leitos para atendimento a pessoas com Covid-19 e que em uma fazenda da região mais de 50 pessoas estariam em quarentena, depois de terem a doença confirmada.

No entanto, segundo a Vigilância Epidemiológica e o Comitê de Enfrentamento a Doença, todas essas informações são falsas. Informaram ainda que nenhum aparelho respirador reservado para pacientes com Covid-19 foi usado até agora.

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
Você é a favor ou contra a privatização da MT 130 sentido Paranatinga?
A favor
Contra
Tanto faz