CAIU NA REDE /

Terça-feira, 23 de Julho de 2019, 10h:45

A | A | A

Com reajustes aprovados, tarifas de energia passam a vir mais caras e gera reclamações


Imagem de Capa
Pérsio Souza

Novos reajustes tarifários na conta de energia passaram a valer entre os meses de maio/junho e o consumidor primaverense já sente o aumento no bolso. A Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel) primeiro anunciou o acréscimo de 10,12% para consumidores residenciais em Mato Grosso e posteriormente na cobrança adicional das bandeiras amarela e vermelha a todo o país. Nas redes sociais, moradores relatam aumento em até R$ 100 do total.

Para consumidores residenciais o aumento será de 10,12%. Os clientes que utilizam energia de baixa tensão vão pagar 11,21% a mais, os que utilizam alta tensão 11,49%. O efeito médio para o consumidor é de 11,29%.

A inflação de 2018 fechou em 3,75%. Mato Grosso irá pagar 11,29% de reajuste. A Aneel afirma que não existe relação entre a inflação e as tarifas, que variam de acordo com os custos e investimentos do setor, e que cada distribuidora tem características e mercados.

Nas redes sociais, Val Rodrigues publicou que reside somente ela e o esposo e a fatura de R$ 166,34/junho aumentou para R$ 208,78/julho e que além dos acréscimos mensais, há cobranças que ela desconhece. “Gente o que vamos fazer com essa Energisa? Cada mês um valor exorbitante que estão cobrando. Sem contar que existem cobranças que eu nem sei o que é. E o salário do primaverensse só aumenta uma vez por ano. Como vamos pagar esse valor? Foge do orçamento da gente”, diz.

Para o mês de junho, a bandeira tarifária é amarela, com custo adicional de R$ 1,50 a cada kwh. Porém, esta é só uma parte da conta de luz, pois há também impostos e tributos. A maior parte da conta é a tarifa propriamente dita, que serve para cobrir os custos de geração, transmissão e distribuição de energia e, os encargos cobrados para manter o setor elétrico. A tarifa muda todo ano.

Conforme a composição de consumo de Rodrigues, os serviços de distribuição de energia custam R$ 46,82; compra de energia R$ 76,37; serviço de transmissão R$ 3,74; encargos setoriais R$ 15,92; impostos diretos e encargos R$ 66,03.

Diversas pessoas passaram a relatar que também tiveram o aumento na tarifa de energia, foram mais de 200 comentários na publicação. Até mesmo um manifesto os consumidores pensam em fazer em protesto ao aumento considerado por eles abusivo.

Até mesmo aqueles que possuem poucos eletrônicos e eletrodomésticos a fatura veio maior que o esperado, como é o caso de Claiton Lima. Ele relata ter apenas geladeira, televisão e ventilador pequeno. A conta veio em torno de R$ 170.

Em residências que os moradores ficam o dia todo fora, devido ao trabalho, as faturas também têm chego com valor acima do esperado também. Maria Cabral dos Reis está na residência somente na hora do almoço e no período da noite, nem ar condicionado ela usa, mas mesmo assim “vem em torno de R$ 167 acho um absurdo, pois trabalho o dia inteiro, não fica ninguém em casa, só na hora do almoço e a noite! Cada mês vem um valor diferente”, afirma.

O aumento da tarifa de energia foi em todo o estado. Flávia Jaime é moradora de Campo Verde e afirma que as coisas não estão diferentes. “Pago um absurdo de energia e ficamos fora quase o dia todo. A água também pago caro mesmo tendo uma caixa que eu capto a água da máquina para lavar área, limpar casa, essas coisas. Aluguel, Deus me livre, mercado você tem que pesquisar muito, ir atrás das promoções, resumindo cada dia que passa está cada vez mais difícil”, declara.

Em Barra do Garças, Airto Batista da Costa diz que há uma variação nas faturas e em três meses houve aumento de R$ 123, sendo que o consumo é o mesmo. “Paguei R$ 290 e nesse mês chegou R$ 218. Está um absurdo. Diferença de três meses e no mês quatro paguei R$ 167”, relata.

O Procon estadual questionou o reajuste aprovado pela Aneel de 11,29%. Conforme o órgão, a metodologia usada pela agência para calcular o reajuste tarifário favorece a concessionária e prejudica o consumidor. Deverá ser feito um estudo para analisar os métodos usados para chegar neste percentual, em parceria com Conselho de Consumidores de Energia Elétrica do Estado de Mato Grosso (Concel).

Procon de Primavera do Leste já realizou mais de 100 atendimentos referentes à energisa

Apesar da concessionária responsável pelo fornecimento de energia no estado de Mato Grosso, a Energisa, liderar o ranking de atendimentos do Procon Estadual, no órgão do município ela ocupa a 3ª e 9ª posição, já que as ocorrências são registradas em nome de Energisa MT Unidade Primavera do Leste e Energia Mato Grosso – Distribuidora de Energia S.A.

Os atendimentos registrados em Primavera do Leste, em ambos, totalizam 104, sendo 71 à Distribuidora e 33 à Unidade, referente ao período de janeiro a 19 de julho deste ano. Desde 2018, a empresa é considerada pelo Procon do município a que mais apresenta dificuldades para solucionar os problemas dos consumidores, já que a mesma ignora a maior parte das tentativas de contato.

As reclamações registradas são sempre as mesmas, conforme a coordenadora do Procon, Aline Crema Fossari. “A maior parte dos atendimentos são referente aos aumentos irregulares nas faturas e troca de medidores sem avisar o consumidor”, explica.

Aline já procurou até mesmo apoio junto ao Ministério Público, mas não teve a solicitação atendida até o momento. Outra medida encontrada pela coordenadora é orientar os consumidores a registrarem as reclamações não somente no sistema do Procon, mas também com a distribuidora, na Ouvidoria e na Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel). Os meios são:

- para entrar em contato direto com a distribuidora, a Energisa, basta entrar em contato pelo telefone 0800 6464 196 e registrar a reclamação;

- já a Ouvidoria, o consumidor pode ligar no 0800 651 111 ou encaminhar a solicitação via e-mail, no ouvidoria.emt@energisa.com.br;

- para registrar a reclamação junto a Aneel, basta acessar o site www.aneel.gov.br/registrar-solicitacao e realizar o castrado conforme as informações solicitadas.

Outra plataforma para reclamações que pode ser utilizada pelo consumidor é através do site www.consumidor.gov.br. Nele, você pode se comunicar diretamente com a empresa, que se comprometeu a receber, analisar e responder as reclamações em até 10 dias.

 

SERVIÇO

Apesar das poucas soluções por parte da concessionária, a coordenadora do Procon solicita para que a população não deixe de realizar as denúncias e que cobrem pelos direitos do consumidor.

O órgão fica localizado na Rua Londrina, 422, Centro, junto a Secretaria Municipal de Assistência Social. O horário de funcionamento é das 12h às 18h. O telefone para contato é o (66) 3497 2036.

 

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

MAIS Primavera Do Leste

Cine Sicredi exibira filme Vingadores Ultimato neste domingo (13), no Lago Municipal

Cooperativa de crédito oferecerá pipoca, picolé e água mineral aos presentes

Vagas limitadas em banca do Detran podem prejudicar quem quer tirar 1ª habilitação ainda em 2019

MAIS LIDAS NO CLIQUE F5

MAIS LIDAS MATO GROSSO


Abaixo reportagens especiais e exclusivas para os assinantes do Jornal O Diário

VANTAGEM

Conheça as vantagens oferecidas no CLUBE DO ASSINANTE DO O DIÁRIO

descontos em medicamentos, mensalidade de academias, compra de óculos, corrida de moto táxi, compra de gás de cozinha e até mesmo na conta do barzinho do final de semana. Esses são alguns dos benefícios oferecidos.

Nome ou atividade:

Bairro ou logradouro:

Produto:

Buscar em:

Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
Você é a favor ou contra a privatização da MT 130 sentido Paranatinga?
A favor
Contra
Tanto faz