propaganda

ARTIGO /

Terça-feira, 30 de Outubro de 2012, 05h:00

A | A | A

2 de novembro: O Dia de Finados

O dia dos falecidos, recorda que somos peregrinos


Imagem de Capa
Pe. Waldomiro Bronakowski
Pe. Waldomiro
Incrível, como corre o tempo. Chegando a novembro, um mês significativo para nós cristãos, pois comemoramos a festa de Todos os Santos e o Dia de Finados.
Penúltimo mês do ano. Tudo passa, tudo é efêmero e passageiro. Só permanece o amor, a bondade, a misericórdia, o bem que praticamos, o tempo que dedicamos a Deus e ao nosso irmão.
Quando se fala em novembro, pensamos logo no dia de Finados. É um dia que pode provocar muita saudade, mas é também um tempo bom para refletir sobre o que deve ser a morte para o verdadeiro cristão. Como podemos ler na Bíblia: “Para tudo há o seu tempo. Há tempo para nascer e tempo para morrer” (Eclo 3,2). E, como escreveu Rubem Alves, “a morte e a vida não são contrárias. São irmãs. A reverência pela vida exige que sejamos sábios para permitir que a morte chegue quando a vida deseja ir”.
Lembremo-nos, pois, com carinho, de nossos mortos, agradecidos por tudo o que deles recebemos, pelos bons momentos que partilhamos, pelo exemplo de vida que iluminou nosso caminho.
O dia de Finados é marcado entre nós pela visita aos cemitérios, pela recordação dos nossos entes queridos que morreram, e pela oração em sufrágio deles.
Na comemoração dos fiéis defuntos somos convidados a estender nossa fraternidade aos irmãos falecidos, através da nossa oração, como nos ensina a Igreja. Hoje, pedimos ao Senhor que em sua misericórdia lhes conceda a felicidade dos que nele morreram, o descanso por seus trabalhos e fadigas, o premio por suas obras. Enfim, pedimos que o Senhor os recompense com a promessa que, Ele mesmo nos deixou no seu evangelho: “quem crê, terá a vida eterna”. Finados, portanto, não é um dia para pensarmos na morte, mas na vida depois da morte, na vida que Jesus Cristo nos prometeu e que as leituras bíblicas nos levam a avivar nossa esperança.
O dia dos falecidos, recorda que somos peregrinos; que não temos aqui na terra morada permanente, que estamos sempre a caminho. Somos viajantes para a casa do Pai, a nossa morada definitiva. A comemoração de todos os fiéis defuntos, de modo particular nossos entes queridos, deve ser também um dia de agradecimento. Não pela morte, mas pela vida plena que recebemos de Cristo e em Cristo. Nada, nem a morte, é mais forte que a vida, a vida que nos vem de Deus. São com estes sentimentos que celebramos a ressurreição do Senhor. A morte não é o fim, é o início de outro modo de viver.
Informamos que sempre na segunda-feira, às 16h é celebrada a missa no cemitério pelos falecidos. E no Dia de Finados (02/11) no cemitério, serão celebradas as missas nos seguintes horários: às 06, 08 e 17h.

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
Você é a favor ou contra a privatização da MT 130 sentido Paranatinga?
A favor
Contra
Tanto faz