propaganda

RETROSPECTIVA /

Sábado, 28 de Dezembro de 2019, 07h:00

A | A | A

BR 070: uma nova entrada para Primavera do Leste

Há pelo menos 30 anos cenário era de moradias às margens da rodovia


Imagem de Capa
Da Redação

Há pelo menos 30 anos, a entrada de Primavera do Leste, para quem chega de Barra do Garças, era a mesma. Moradias às margens da BR 070 comprometiam o desenvolvimento da cidade e acima de tudo colocava em risco a vida de quem ali morava, já que muitos atropelamentos foram registrados na região. Porém, o problema foi resolvido em 2019, e o amontoado de residências deram lugar à duplicação do trecho. A obra realizada pelo Dnit, só foi possível graças a uma ação de reintegração de posse.

Pensando no bem-estar das 71 famílias que se encontravam morando às margens da rodovia, o Executivo encaminhou para a Câmara o Projeto de Lei nº 1.781, que foi aprovado pelos vereadores. Além de permitir o aluguel social no valor de R$ 550, essa mesma legislação instituiu o projeto ‘Vida Nova’ que autoriza a construção de 48 residências para abrigar essas famílias, cadastradas no setor de habitação até 2015.

De acordo com informações da Assessoria de Imprensa da Prefeitura, das 71 famílias que estavam na área pertencente ao Dnit, 61 compareceram com contrato para receber o aluguel social. Deste número 39 famílias receberam o auxílio até novembro. As outras 22 que se enquadram na lei ainda continuam recebendo o auxílio até as casas doadas pela Prefeitura ficarem prontas.

A construção das 60 moradias ainda encontra-se em processo de licitação, sem uma data prevista para a conclusão das obras. 

A Prefeitura de Primavera do Leste aguarda autorização do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes – Dnit, para realizar intervenções na BR 070, no perímetro urbano. Ao todo serão quatro intervenções no trecho. Estima-se que seja gasto em todas as intervenções o equivalente a R$ 3 milhões, os recursos serão da própria municipalidade.

O jornal O Diário não teve acesso ao pedido protocolado junto ao órgão, mas segundo informações, a primeira intervenção a ser realizada será a interligação ao bairro Castelândia, onde moradores do referido local se dizem isolados do restante da cidade, já que alças de acesso foram fechadas em agosto deste ano. Em reportagem produzida pelo O Diário, no mesmo mês, populares da região alegaram que foram prejudicados e isolados do restante da cidade. Já os comerciantes, estes perceberam a queda drástica no fluxo de clientes e para manter o funcionamento do estabelecimento, não descartam a possibilidade de redução no quadro de funcionários.

Na época foram realizadas duas reuniões entre moradores e comerciantes do Castelândia, para saber qual medida poderia ser tomada para que o bairro não fosse prejudicado, porém, o Dnit não compareceu em nenhum dos encontros. A empresa Gasini, quem realiza o Plano de Mobilidade de Primavera do Leste, esteve presente e apresentou medidas que podem auxiliar no trânsito local, já que transitam em média 20 mil veículos por dia naquela região.

Na época, o superintendente do Dnit, Orlando Machado, esteve na redação do O Diário para conversar com nossa equipe de reportagem sobre as obras realizadas no Castelândia. Ele esclareceu que as vias de acesso foram fechadas devido aos problemas observados pelo órgão e riscos de acidentes apontados pelas autoridades. O intuito é oferecer maior segurança para quem transita na via. O representante do Dnit não descartou a possibilidade de fazer adequações das obras.

 

COMERCIANTE CHEGARAM A FAZER PROJETO

Para tentar solucionar o problema de acesso ao bairro, os moradores e comerciantes desenvolveram novo projeto para apresentar ao Dnit, porém, como eles nunca compareceram às reuniões, não tiveram a opção de debater sobre.

No novo projeto há algumas alterações na rotatória da BR-070 com a MT-130, a qual seria ampliada, implantadas duas alças de acesso ao bairro, entrada e saída, e a criação de um viaduto entre Castelândia e área central, que ligaria na Rua Piracicaba.

Com está medida, a comunidade local acredita que o trânsito fluiria de forma ágil, sem causar transtornos e o bairro não ficaria mais isolado, pois haveriam opções de acesso ao Castelândia.

É válido ressaltar também que não é somente o bairro Castelândia que fica do outro lado da rodovia, o acesso aos demais locais, como São José, Cristo Rei, Parque Gnoato, Pioneiro e Vila Popular, também ficaram limitados.

Ainda não se sabe se o projeto feito pelos moradores será executado pela prefeitura municipal.

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
Você é a favor ou contra a privatização da MT 130 sentido Paranatinga?
A favor
Contra
Tanto faz