MUDANÇAS /

Quinta-feira, 23 de Janeiro de 2020, 15h:08

A | A | A

12 cruzamentos da Avenida Porto Alegre serão fechados

O objetivo é melhorar a fluidez da principal avenida de Primavera do Leste e também diminuir o número de acidentes


Imagem de Capa
Jaqueline Hatamoto

Rua Bento Gonçalves, Paranatinga, Poxoréu, Blumenau, Londrina, Curitiba, São Bernardo do Campo, Santo Amaro, Santa Catarina, Mandaguari, Sergipe e Pernambuco. Essas vias não poderão mais ser utilizadas para cruzar a Avenida Porto Alegre. Dos 27 pontos existentes hoje, 12 serão fechados quando a revitalização da via for concluída.

Os cruzamentos foram fechados após um estudo técnico realizado pela empresa Gasini, responsável pelo Plano de Mobilidade do município. O objetivo é melhorar a fluidez da via e principalmente reduzir o número de acidentes e melhorar a segurança para os ciclistas. Segundo Giovanna Carolina de Souza, engenheira civil da empresa Gasini, passam pela Avenida uma média de 1000 ciclistas. Um outro ponto levado em consideração para o fechamento dos cruzamentos, está o número elevado de pedestres, já que a avenida é um dos principais polos comerciais da cidade. “Foram realizadas várias análises e algumas reuniões com a comissão que analisa o plano de mobilidade e foi levantado alguns pontos críticos existentes na Avenida Porto Alegre. Foi levado em consideração os pontos onde teríamos mais acesso, pontos críticos e polos geradores de atração e chegou à conclusão que seriam fechados 12 dos 27 acessos à Avenida Porto Alegre”, ressaltou a engenheira.

De acordo com a pesquisa realizada, devido ao número elevado de acessos associado ao número de veículos e também a quantidade de ciclistas e pedestres, um carro consegue em horário de pico atingir a velocidade de 15 quilômetros por hora, quando essa velocidade deveria ser de 40 quilômetros por hora. “O fechamento dos canteiros é para segurança dos ciclistas e travessia de pedestre e melhorar a fluidez. Foi feita pesquisa que durante o período de pico, a média de velocidade é entre 10 a 15 km por hora, e isso atrapalha a fluidez do trânsito e acaba provocando acidentes. Fechando alguns canteiros, teremos a diminuição do número de acidentes e melhoramos a fluidez”, expôs Giovanna.

Quanto ao medo de alguns comerciantes de que o fechamento de alguns acessos à avenida prejudicará o comércio local, o prefeito Leonardo Bortolin pediu para que a população não sofra por antecipação. “A população não deve sofrer por antecipação. A obra será feita por etapas. Tudo dentro de um cronograma pensado. É necessário que a população entenda a importância desta obra. Primavera não é mais um currutela e cidade do interior, Primavera está se tornando referência em todos os aspectos e a cidade tem que ser modernizada. Em todas as grandes cidades, as principais vias não existem um retorno a cada quadra e sim prolongamentos. Essa obra vai dar mais condições de fluxos e diminuir as ocorrências de acidentes”, frisou.

O prefeito ressaltou que os comerciantes vão sair ganhando quando a obra estiver concluída, já que o número de vagas para estacionamento irá aumentar. “Mesmo não sendo certo estacionar junto ao canteiro e pelo centro de Primavera ter sido pensado com estacionamento, a Avenida continuará tendo estacionamento dos dois lados. Então, automaticamente fechando os cruzamentos, teremos pelo menos quatro vagas de cada lado”, ressaltou o prefeito.

A obra de revitalização da Avenida Porto Alegre, ocorrerá seguindo um cronograma que foi dividido em três etapas. A primeira corresponde da BR 070 até o cruzamento da Avenida São João. A segunda do cruzamento da São João até o cruzamento da Minas Gerais e por último do cruzamento da Minas Gerais até o final da Avenida. “A etapa é por trecho, só vai passar para o outro quando estiver pronto. Vamos colocar iluminação, árvores, jardinagem e só depois passamos para o próximo trecho”, explicou Bortolin.

 

ORGANIZAÇÃO DE ESTACIONAMENTO

Como já foi dito nesta reportagem, por questão de organização os veículos continuarão parando junto ao canteiro central. Os ciclistas poderão circular pelo centro do canteiro. As vagas para motos serão mantidas nas esquinas. “A ciclovia passa ao centro do canteiro, dando segurança para o ciclista. As vagas de moto vamos implantar próximas as esquinas, melhorando a visualização de acesso. A velocidade máxima permitida será de 40 quilômetros por hora”, explicou Giovanna Carolina de Souza, engenheira civil da empresa Gasini.

 

CARGA E DESCARGA

Um outro problema que apontado pela pesquisa feita pela empresa Gasini e que atrapalha a fluidez do trafego da Avenida Porto Alegre, é a carga e descarga e também o trafego de veículos pesados pelo centro. De acordo com a engenheira responsável, um local para carga e descarga bem como um horário será definido para resolver de vez o problema. “Hoje o município tem uma alta demanda de caminhões que acessa a área central todos os dias. Então a cidade tem muito desgaste de pavimento por conta do peso, problema de fluidez, por conta do estacionamento em vias. Portanto será determinada uma aérea para que estes caminhões possam acessar em horário ainda a ser estabelecido. Para tentar diminuir o tráfego de veículos de grande porte na área central em horários de pico. Tudo deverá ser respeitado, já que o plano de mobilidade se tornará lei”, destacou.

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
Você é a favor ou contra a privatização da MT 130 sentido Paranatinga?
A favor
Contra
Tanto faz