propaganda

ARTIGO /

Segunda-feira, 05 de Outubro de 2020, 10h:37

A | A | A

COVID-19: UM MAL NECESSÁRIO?

Enfim, o COVID-19 serviu para mostrar a todos que nem tudo está perdido, que existem pessoas/organizações que demonstraram estar preocupadas com o próximo


Imagem de Capa
Ernesto de Sousa Ferraz Neto

Infelizmente foi preciso uma grande crise mundial na área da saúde (pública e privada) para que a maioria das pessoas compreendesse melhor a vida; as perdas e as dificuldades que surgiram em decorrência do aparecimento da COVID-19, iniciada a pouco mais de 6 meses e que assolou o mundo, causando medo e insegurança por algo ainda  desconhecido e sem perspectiva de cura. 

Esta crise, denominada Pandemia do Coronavírus, trouxe a todos nós, além do medo, da desinformação e do desconforto e muitas outras fobias, o temor pela vida, afetando diretamente as pessoas, principalmente no que diz respeito ao aspecto financeiro.

 No entanto, junto à crise do COVID-19 acredito que as pessoas passaram a ter melhor consciência da sua existência e das consequências que a doença pode causar junto aos membros da família.

O isolamento social impossibilitou a nossa saída a parques, lagos, praias e muitos outros lugares de lazer, por outro lado, a ausência de público contribuiu com o meio ambiente tornando-o menos poluído, deixando o ar mais puro e o solo mais limpo.

A reflexão que se faz, apesar das perdas sofridas, fez as pessoas perceberem com certo otimismo que houve alguns ganhos: Se elas perderam a liberdade pelas restrições impostas pelas autoridades, no entanto, ganharam confiança pela fé e pela esperança pela expectativa da cura através de uma vacina.    

 Uma das perdas mais significativas sem dúvida foi a escassez de recursos financeiros em decorrência dessas restrições, mas por outro lado, aflorou a solidariedade nos corações das pessoas. Lembrando que a escassez fez com que déssemos mais valores às coisas que possuíamos (mesmo sendo simples), além da inestimável valorização da vida humana. E essa aparente fragilidade nos tornou mais fortes.   

Apesar do pânico, da incerteza e da insegurança que atingiu a todos, e não somete o Brasil, mas em todo planeta, a pandemia veio como um alerta à população. O medo fez que com todos recuassem um pouco e permanecessem em suas respectivas casas. Evitando aglomerações de pessoas para não serem contagiadas pela doença.

 A pandemia nos deixou mais confiantes e esperançosos, para muitos foi e está sendo uma grande lição de vida, vez que nos fez perceber que gestos simples como lavar bem as mãos, usar álcool em gel e usar uma máscara pode salvar vidas. 

Ela também nos vez compreender que a perda de um ente querido pode acontecer a qualquer momento, já que o contágio é muito rápido e a doença é implacável. Se a crise trouxe desalentos, deu a possibilidade de aumentar a nossa crença na ciência diante desse momento conflitante, cheio de angustias e desespero.

Com a pandemia, veio também a valorização de todos os agentes de saúde, sem distinção de cargos, tornando-os heróis (e talvez a nossa única salvação) neste momento de tantas incertezas.

Enfim, o COVID-19 serviu para mostrar a todos que nem tudo está perdido, que existem pessoas/organizações que demonstraram estar preocupadas com o próximo: A empatia nunca esteve tão em moda como se vê neste momento.    

Não há dúvidas que neste tempo de pandemia todos nós aprendemos, embora alguns erros tenham sidos cometidos, o saldo na aprendizagem é positivo. Se houve perdas em alguns setores, pode-se afirmar que alguns ganhos em outros, e que somente o tempo poderá precisar o montante perdido decorrente dessa crise pós-pandemia.

No entanto, a maior lição que a Pandemia pode deixar é a valorização da vida e o respeito ao próximo. Atitudes essas facilmente notáveis durante momento de crise, uma vez que ela é um misto de medo e de esperança; de algo totalmente desconhecido e fatalmente perigoso, mas com boas perspectivas de cura para breve. É desafiador para a ciência, mas uma reeducadora do comportamento e das relações humanas.

 

Ernesto de Sousa Ferraz Neto é professor na rede pública de ensino.

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
Caso a vacina para a Covid-19 seja liberada no Brasil, você pretende tomar?
Sim, se for a Chinesa
Sim, se for a Russa
Sim, se fosse outra
Nem pensar
Não tenho opinião formada sobre o assunto