Politica MT /

Terça-feira, 17 de Março de 2020, 20h:31

A | A | A

População debate implantação de Escola Militar em Campo Novo do Parecis

Foto: ELIEL TENORIO PEREIRA Pais, alunos, professores, diretores escolares e moradores participaram de uma audiência pública realizada...


Imagem de Capa
Foto: ELIEL TENORIO PEREIRA Pais, alunos, professores, diretores escolares e moradores participaram de uma audiência pública realizada pela Comissão de Segurança Pública e Comunitária da Assembleia Legislativa (ALMT), para exposição da proposta de implantação da escola cívico-militar na cidade de Campo Novo do Parecis. A audiência foi realizada na noite desta segunda-feira (16/03), no Ginásio da Praça da Bíblia no município. O evento foi aberto para participação da população. O deputado estadual Elizeu Nascimento (DC), presidente da comissão da Segurança Pública e comunitária da ALMT, presidiu o debate e explicou a importância do funcionamento de uma escola com a didática militar.   “As práticas didático-pedagógicas nos colégios militares subordinam-se às normas e prescrições do sistema de ensino do polícia Militar, mas também obedecem à Lei de Diretrizes e Bases da Educação Nacional, principal referência para estabelecer os princípios da educação básica no Brasil”, explicou o parlamentar. O parlamentar também destacou qual o objetivo de propor a implantação da escola militar. “O objetivo é disponibilizar excelência no ensino, além de transmitir valores morais, disciplina, patriotismo, o respeito à família, à pátria e o incentivo ao esporte, tirando jovens e adolescente da criminalidade. Respeito ao professor, inclusive, que tem sido alvo de violência em sala de aula”, frisou Elizeu. Com índices bons na avaliação do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) de 2017, as escolas militares Tiradentes são as que obtêm as melhores notas entre as escolas públicas de Mato Grosso. Atualmente, apenas os municípios de Cuiabá, Alta Floresta, Rondonópolis, Juara, Confresa, Sorriso, Lucas do Rio Verde e Nova Mutum possuem colégios militares. Nesse formato de unidade escolar, a Secretaria de Estado de Segurança Pública fica responsável pela gestão da unidade, enquanto a Secretaria de Estado de Educação pelo projeto político-pedagógico e indicação de professores. “A Escola Militar é uma gestão compartilhada, onde os professores cíveis continuam exercendo sua profissão da mesma forma que a Polícia Militar irá ministrar a disciplina militar. Hoje também temos a preocupação com a segurança dos professores e com esse condicionamento conseguimos trazer segurança para todos”, disse o vice-presidente da Comissão da Segurança Pública e Comunitária deputado delegado Claudinei. “Agradeço aos deputados que tiveram essa iniciativa. É importante ter lideranças na Assembleia preocupadas com as necessidades do nosso município. Sabemos que estamos bem representados”, enfatizou o prefeito Rafael Machado (PSD). De acordo com o Tenente Marcel Bueno, comandante do núcleo de bombeiros militares da Escola Militar no Município, a escola militar é um projeto altamente positivo. “Temos alguns projetos aqui no município com filosofias semelhantes da Escola Militar, com hierarquia e disciplina que tem oferecidos grandes resultados, de maneira quantitativo e qualitativo. Essa filosofia de trabalho tem alcançado jovens”, disse. “No início tive preconceito com o militarismo, achava que era um método de imposição. Quando entrei no projeto Agentes Mirim comecei a conviver com o militarismo e dessa forma percebi que tudo tem uma lógica, que o militarismo tem um resultado positivo com os jovens. A metodologia não dá margens para dúvidas, o que é certo é certo o que é errado a é errado. Essa objetividade ajuda no desenvolvimento desses jovens”, salientou Luciene Matte, coordenadora do projeto dos Agentes Mirim A audiência contou com a presença dos deputados estaduais Elizeu Nascimento e delegado Claudinei, do comandante da 16° Companhia independente da Polícia Militar Ten cel Fernando Schulz, Tenente Marcel Bueno, comandante do núcleo Independente do Corpo de Bombeiros, Alessandra Costa Marques, presidente do conselho municipal dos direitos da criança e adolescente e representando a secretaria estadual de educação, o assessor pedagógico Cesar Augusto Guedes.

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
Você é a favor ou contra a privatização da MT 130 sentido Paranatinga?
A favor
Contra
Tanto faz