Entretenimento /

Quarta-feira, 13 de Novembro de 2019, 19h:30

A | A | A

Globo é acusada de se beneficiar da nova lei trabalhista por sindicato

Não se fala em outra coisa a não ser as polêmicas demissões da Globo. Isso porque o Sindicato dos Radialistas do Rio de Janeiro (SindRadTv-RJ) acusou...


Imagem de Capa

Não se fala em outra coisa a não ser as polêmicas demissões da Globo. Isso porque o Sindicato dos Radialistas do Rio de Janeiro (SindRadTv-RJ) acusou a emissora de se beneficiar da nova lei trabalhista, de 2017, para demitir centenas de pessoas e substituir o trabalho CLT, por serviços desregulamentados de vínculos PJ e terceirização, de acordo com o site NaTelinha .

Leia também: Dennis Carvalho, Papinha e outros diretores têm seus salários reduzidos na Globo

Globo arrow-options
Divulgação
Globo


Na última semana, cerca de 300 pessoas foram demitidas da Globo e alguns dos maiores diretores da emissora, como Dennis Carvalho e Rogério Gomes, o Papinha, tiveram seus salários reduzidos pela metade.

Leia também: Em meio a demissões em massa, Globo investe R$ 1 bilhão no streaming

"O projeto que a Globo aplica hoje é planejado há muito tempo. Mais que uma fusão das empresas do grupo, o que está em jogo é uma  junção do corpo de funcionários, para explorar ao máximo o acúmulo e o desvio de funções não remunerados", aponta a nota divulgada.

"Desde os anos 1970, a Lei dos Radialistas garantia remuneração adicional para todas e todos os trabalhadores em rádio e TV que exercessem varias funções ao mesmo tempo para a empresa. Só o SinRadTv-RJ converteu milhões de reais em indenizações para os trabalhadores colocados como 'faz tudo' sem a remuneração correta. Isso não ocorria só na emissora, mas como a maior empresa do setor ela também teve a maior influência na desregulamentação trabalhista que pôs fim a esses direitos".

Leia também: Ana Maria Braga dá chilique após equipe cometer erro ao vivo

O comunicado do Sindicato sobre a crise na Globo ainda aponta que "até 2017, a legislação brasileira proibia a prática unilateral de demissões em massa, e orientava-se que a direção sempre dialogasse antes com representações dos trabalhadores. Desde que a CLT foi desregulamentada pelo governo Temer e parlamentares  como o atual Presidente Bolsonaro, a regulação de demissão em massa ficou na gaveta", diz.

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
Você é a favor ou contra a privatização da MT 130 sentido Paranatinga?
A favor
Contra
Tanto faz