Política Cuiabá /

Terça-feira, 10 de Setembro de 2019, 20h:30

A | A | A

Ao reivindicar isenção fiscal, pastores mostram importância do trabalho social realizado pelas igrejas

O vereador Marcelo Bussiki (PSB) abriu espaço Tribuna Livre – durante a sessão ordinária desta terça-feira (10) – para que os pastores Nilton César...


Imagem de Capa
O vereador Marcelo Bussiki (PSB) abriu espaço Tribuna Livre – durante a sessão ordinária desta terça-feira (10) – para que os pastores Nilton César (da Igreja Internacional da Graça de Deus) e Pastor Sócrates (da Igreja Sara Nossa Terra), explanassem sobre a necessidade do Poder Público conceder isenção tributária todas as denominações religiosas que atuam na Capital.
Os pastores defendem que o valor isento será revertido em maior volume aos cofres públicos, visto que as igrejas desenvolvem um trabalho que resulta na recuperação de pessoas que se encontram em dificuldades em suas vidas. São pessoas que, de forma geral, causam transtorno social porque estão mergulhadas no vício das drogas e sustentam essa condição praticando furtos e até mesmo crimes mais graves.
O pastor Nilton observou que as pequenas igrejas, aquelas que se localizam em bairros de pessoas carentes, encontram dificuldade em arrecadar fundos para manter-se. Aquelas que estão em endereços nobres, precisam permanecer de portas abertas ininterruptamente para atender a quem as procura, dispondo de colaboradores para fazer o atendimento, que é gratuito.
O pastor Sócrates citou como exemplo dessa atuação a situação do próprio irmão, que hoje trabalha como motorista de caminhão. Contudo, anos atrás veio de Minas Gerais para Mato Grosso em estado de miserabilidade devido ao consumo de drogas. Foi na igreja que reencontrou o caminho do trabalho e da dignidade humana.
Ao final Bussiki alertou que o trabalho realizado pelas igrejas mostra maior importância quando se percebe que são recuperadas “aquelas pessoas que muitas vezes até a própria família já abandonou”. Ele salientou que nesse aspecto a expressão “salvar vidas” não fica restrita à atuação dos médicos, mas se estende também ao trabalho realizado pelas igrejas.
&nbspBussiki afirmou ainda que a relevância dessas obras fica mais evidente porque o Poder Público não chega até essas pessoas.
&nbsp“Essas pessoas estão à margem dos meios sociais. Sendo que para cada R$ 1,00 de isenção, o retorno para os cofres públicos atinge R$ 4,00, pois livra a administração pública de gastar com remédios, segurança e outros insumos que visam garantir ordem na cidade.”, disse.
O vereador fez um apelo aos demais vereadores para que aprovem um Projeto de Lei que irá ao Plenário e que visa contemplar de isenção tributária municipal todos os tempos religiosos, independente de denominação.

Etevaldo de Almeida | Câmara Municipal de Cuiabá



Imprimir Voltar Compartilhar:  
</div

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
Você é a favor ou contra a privatização da MT 130 sentido Paranatinga?
A favor
Contra
Tanto faz