Direitos /

Sexta-feira, 08 de Novembro de 2019, 10h:37

A | A | A

Reclamações em audiência publica sobre a Energisa realizada em Campo Verde devem ter papel importante na CPI realizada pela AL-MT

Como é de conhecimento notório, a Energisa vem sendo alvo de uma CPI por parte da Assembleia Legislativa, essas audiências publicas em torno do tema vem acontecendo em vários municípios do estado.


Assessoria AL-MT
Imagem de Capa
Paulo Pietro

Na ultima terça-feira (05) a noite, aconteceu a audiência publica em Campo Verde sobre a empresa concessionária de energia do estado de Mato Grosso, a Energisa.  Segundo os organizadores da audiência, que tinha o objetivo de ouvir a população quanto às questões levantadas sobre o serviço da concessionária, o publico interessado compareceu em bom número e as expectativas foram atendidas.

 

Como é de conhecimento notório, a Energisa vem sendo alvo de uma CPI por parte da Assembleia Legislativa, essas audiências publicas em torno do tema vem acontecendo em vários municípios do estado, mas por possuir algumas particularidades, Campo Verde deve ser peça importante no trabalho investigativo dos deputados.

 

O município possui várias empresas do setor têxtil, devido a sua grande produção agrícola de algodão, essas empresas funcionam de maneira continua, com equipamentos modernos e delicados, principalmente nas fiações, que devido qualquer problema de queda ou fluxo de energia se desliga automaticamente a fim de prevenir danos aos equipamentos. O problema segundo disseram representantes do setor na audiência pública, é que devido a essas paradas todo o material que está sendo produzido no momento dessas quedas, ou torna-se inutilizável ou perde grande parte do valor agregado, pois os fios quanto mais longos de melhor qualidade são classificados, mas todas as vezes que a máquina para o fio arrebenta e não tem maneira de realizar uma emenda.

 

No caso das algodoeiras, que beneficiam o algodão colhido a situação é parecida, pois se perde muito tempo com essas quedas e oscilações, e tempo é dinheiro literalmente no setor, cada hora parado representa milhares de reais desperdiçados.

 

Os prejuízos contabilizados assustam, segundo entrevista concedida durante a audiência publica, o gerente da Cooperfibra, Antônio Marcos, afirmou que a cooperativa teve um prejuízo de R$ 9 milhões por conta de constantes quedas de energia durante o ano.

 

"Acontecem ao todo, cerca de 148 oscilações de energia que acabam desligando os motores e máquinas que consomem muita energia. Essas quedas significam um prejuízo de cerca de R$9 milhões", relata o gerente sobre os problemas na empresa, que é uma das maiores cooperativas de algodão do país.

 

O presidente da Câmara de Vereadores de Campo Verde Solivan Fonseca, comentou que “essa iniciativa revelou problemas até maiores do que se esperava, a população em geral e empresários participaram com muitas informações, que devem ser inclusas na CPI. Nós imaginávamos que o problema não era desse tamanho, mas pelos relatos vão desde o atendimento, infraestrutura, irregularidades, capacidade, é realmente um caos, ainda mais para a produção rural.”

 

Segundo o presidente uma trabalhadora de uma pequena propriedade, chegou a se emocionar relatando os problemas, “ela comentou que além de perder grandes quantidades de leite devido a falta de energia, pois fica sem os resfriadores, até mesmo as criações ficaram prejudicadas, pois não tem como fabricar as rações dos animais, que são feitas como a própria matéria prima de sua pequena produção, se comprasse esse material pronto, o seu custo ficaria inviável, por isso animais chegaram a morrer. Ela demonstrou que além de ser constante as quedas de energia, demoram muitas horas e até dias para reestabelecer a rede, isso tem inviabilizado sua produção e causados enormes prejuízos. Também tivemos moradores que trouxeram contas com valores absurdos, que em um mês gastavam R$ 100,00 e no mês seguinte receberam a conta de R$ 800,00, empresários que tinham a conta em torno de 5 a 6 mil reais em média, que receberam em determinado mês a cobrança de 47 mil reais, então são situações absurdas que serão analisadas nesta CPI.”

 

Esteve presente nessa audiência o deputado Elizeu Nascimento, ele comentou que essas reclamações colhidas em documentadas em Campo Verde serão peças importantes, que serão juntadas a CPI, o presidente Solivan, finalizou explicando que “o trabalho que vem sendo promovido pelo deputado é muito sério, ele é uma pessoa que inspira confiança, e eu acredito que essa CPI pode sim ter resultados, pois não podemos ser refém de uma empresa que não vem prestando o serviço cobrado de acordo, com lucros milionários e pouquíssimos investimentos e principalmente interesse nos problemas vivenciados.”

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!

MAIS Campo Verde

Consumidores entram na justiça com ações em desfavor do loteamento Greenville II

Segundo nosso entrevistado, nos últimos 90 dias mais de 50 ações foram propostas contra a loteadora Casa & Terra.

Municípios próximos de Campo Verde podem ser extintos

O Diário conversou a prefeita de Nova Brasilândia e também a chefe de gabinete de Planalto da Serra, ambas as cidades estariam entre as cidades que poderiam ser extintas caso a proposta fosse aprovada.

MAIS LIDAS NO CLIQUE F5

MAIS LIDAS MATO GROSSO


Nome ou atividade:

Bairro ou logradouro:

Produto:

Buscar em:

Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
Você é a favor ou contra a privatização da MT 130 sentido Paranatinga?
A favor
Contra
Tanto faz