NOVA MEDIDA /

Quarta-feira, 01 de Julho de 2020, 06h:30

A | A | A

Prefeitura de Campo Verde implanta toque de recolher a partir das 20h00

A nova medida será implantada hoje (010 e segue até o dia 08 de julho


Imagem de Capa
ASSESSORIA DE IMPRENSA

A partir desta quarta-feira (01) não será mais permitida a circulação de pessoas, exceto em casos excepcionais e essenciais, nas ruas de Campo Verde a partir das 20h00.

A decisão foi tomada hoje (30) durante reunião do Comitê Municipal de Enfrentamento ao Novo Coronavírus e tem como base o cenário da doença em todo o estado, que sobrecarregou o sistema público hospitalar. O “toque de recolher” vale até o próximo dia 8.

Conforme enfatizou o prefeito Fábio Schroeter, o toque de recolher implica também no funcionamento do comércio noturno, que só poderá atender por meio do serviço de entrega a partir do horário determinado no Decreto, não sendo mais permitida a retirada de produtos no local ou a permanência de clientes nos estabelecimentos.

“Nós queremos deixar as pessoas trabalhando, só que nós precisamos ter uma conscientização maior. Em função disso nós tomamos a decisão de fazer um toque de recolher. As empresas podem funcionar até as 20h00, porém, a partir das 20h00, não mais. Tem que fechar”, frisou.

De acordo com o prefeito, em Campo Verde o quadro da doença é diferente e um pouco melhor que o de muitos outros municípios e que esse cenário só está sendo possível graças as medidas adotadas ao longo da pandemia. O que preocupa, segundo ele, é o colapso do sistema público de saúde de Mato Grosso, com praticamente 100% dos leitos de UTI ocupados. “Nós temos a situação mais ou menos sob controle [no município], porém, estamos dependendo de uma retaguarda de leitos de UTI do Estado e, em função desse cenário que nós temos hoje, o Comitê optou por restringir um pouco mais”, explicou.

Para evitar um eventual agravamento da situação no município, o prefeito fez um pedido à população para que as regras restritivas implantadas sejam cumpridas, evitando assim a adoção de medidas mais drásticas e o aumento no número de casos entre os moradores locais. “Eu sei que a população fez muitos sacrifícios e, até por conta de todo esses sacrifícios que fizemos desde o começo, temos uma situação mais ou menos sob controle. Mas, saindo do [âmbito do] município, não está [mais] nas nossas mãos. Se precisarmos de um leito de UTI a gente não sabe se vai conseguir”, disse.

Fábio ressaltou que a adoção do toque de recolher é uma tentativa de evitar o “lockdown”, que é quando todos os serviços considerados não essenciais são suspensos. “Tem muitos municípios no estado que já estão em lockdown e aí, realmente, é um impacto muito grande na sociedade, [com] muita gente prejudicada. Vai afetar realmente a todos. Nós não queremos chegar nesse nível”, avaliou.

A recomendação feita pelo prefeito na forma de pedido, é que a população não saia de casa, não faça festas ou encontro de amigos e que evite aglomerações nos espaços públicos, como avenidas, ruas e praças. “Se cuidem, não é hora de festinha. É hora de se cuidar, principalmente em casa com os nossos familiares” disse ele.

Fábio alertou, mais uma vez, que o momento é de cuidado. “As pessoas parecem que estão vivendo tempos normais e hoje nós estamos em ‘tempo de guerra’, não é normal não. Depois de passado isso a gente volta ao normal” disse. “Então, é o último pedido que a gente faz para tentar evitar o ‘lockdown’”. É um negócio que nós não queremos, mas é bem possível que a gente venha tomar essa medida em breve”, completou.

De acordo com o prefeito, o funcionamento do comércio e a circulação de pessoas após as 20h00 serão fiscalizados pelos fiscais da Secretária Municipal de Fazenda e por servidores da Vigilância Sanitária com apoio da Polícia Militar. O descumprimento da norma está sujeito a sanções legais, que vão de notificação ao fechamento do estabelecimento.

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
Você é a favor ou contra a privatização da MT 130 sentido Paranatinga?
A favor
Contra
Tanto faz