Tragédia /

Terça-feira, 21 de Janeiro de 2020, 13h:48

A | A | A

Bebê fica gravemente ferido após acidente em hotelzinho em Campo Verde

Família quer que situação seja esclarecida o quanto antes.


Imagem de Capa
Paulo Pietro

Um acidente envolvendo uma criança está chamando atenção da população campo-verdense e ganhando cada dia mais capítulos e manifestações nas redes sociais. Estamos falando do caso do bebê Benjamim Miguel Rodrigues de Oliveira, de apenas um ano e três meses, que foi vítima de traumas severos na região da cabeça, após ser vítima de um acidente ainda não esclarecido. Ele sofreu o acidente enquanto estava sob os cuidados de uma instituição particular, chamada Hotelzinho Chapeuzinho Vermelho, localizada na Rua Belo Horizonte no Bairro Campo Real II.  

 

A criança está em coma desde o dia do acidente, (10/01/2020) na UTI pediatra do Hospital Santa Casa em Rondonópolis-MT e seu estado de saúde é extremamente delicado, apesar de ele ter apresentado alguma evolução.

 

A tia da criança, Ariadis de Oliveira, que recebeu autorização dos pais do bebê para falar sobre o assunto, procurou nossa equipe de reportagem, ela ressalta que as últimas informações obtidas através de laudos médicos, não batem com as versões apresentadas pelos representantes da instituição.

 

Segundo o que foi relatado por membros da escola à familiares do aluno, eles encontraram Benjamim caído em uma área da creche já desmaiado e com sangramento na região do ouvido e não souberam dizer com certeza o que havia acontecido. A versão apresentada pela instituição é que a criança havia caído do escorregador.  

 

Porém, laudos médicos não confirmam a versão da instituição. Segundo os documentos apresentados pela tia, Benjamim teve traumatismo craniano, atingindo a parte base do crânio e a mastoide, região lateral próxima ao rosto. Boa parte do lado esquerdo da cabeça do bebê esta com os ossos fragmentados. “O tamanho do trauma é incompatível com as versões apresentadas como hipótese, segundo o que foi relatado pelos próprios médicos que estão cuidando do Benjamim”, disse Ariadis.

 

Além disso, outras fontes entrevistadas, que tiveram participação direta na situação, questionaram o procedimento realizado no momento do socorro a criança, que foi levada por terceiros ao HMCJ e também afirmaram que existem dúvidas no que foi dito pelas representantes da instituição.     

 

O Diário ainda tentou conversar com as responsáveis pela instituição, para que elas contassem sua versão dos fatos a nossa reportagem, mas recebemos via Whatsapp a seguinte informação;  “O Hotelzinho só irá se pronunciar, por instrução dos advogados, quando o Benjamin estiver em casa e fora de perigo. Não estão autorizados a citar nomes por instrução de advogados. Não insista”.  

 

Amanhã o jornal O Diário vai trazer a reportagem completa sobre o caso com detalhes e entrevistas exclusivas.

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
Você é a favor ou contra a privatização da MT 130 sentido Paranatinga?
A favor
Contra
Tanto faz