Alunos fantasmas /

Terça-feira, 15 de Março de 2016, 09h:37

A | A | A

Após 'alunos fantasmas', escolas de MT podem ter biometria facial

Sistema pode ajudar a evitar desperdício de merenda e evasão escolar.


Imagem de Capa
G1 - Mato Grosso - de 14/03/2016

...

Os testes começaram na última quarta-feira (9), na Escola Estadual Verena Leite de Brito, em Vila Bela da Santíssima Trindade, a 562 km de Cuiabá. O equipamento, que identifica o estudante pelo rosto, também já foi avaliado em outra escola da rede estadual, na capital.

O superintendente de Tecnologia da Informação da Seduc, José Gil de Oliveira, afirmou que o teste não tem nenhum custo ou compromisso de contratação da empresa, que fornece a máquina. Segundo ele, antes de escolher a empresa para a prova de conceito, a secretaria buscou conhecer outras tecnologias, como a leitura digital, leitura de crachás, pulseiras e chips nos uniformes.

O equipamento instalado no pátio da escola deve fazer a leitura do rosto do estudante no momento da entrada. Há uma tolerância de atraso de até 30 minutos. Após este período, os pais recebem um SMS informando a ausência do aluno naquele dia. Além disso, a administração da escola e a Seduc também recebem o percentual de presença total de alunos na escola naquele período.

Com o sistema funcionando, os professores terão um ganho no tempo de aula de até oito minutos, pois não haverá necessidade de fazer a chamada de presença. A Seduc informou que espera que o controle sistematizado da frequência dos alunos também ajude na redução do desperdício da merenda, consumo de papel e gasto com telefonia nas unidades de ensino.

Em 2015, segundo um levantamento do órgão, foram identificados mais de 38 mil alunos “fantasmas” nas escolas estaduais de Mato Grosso. Tratam-se de matrículas inconsistentes que inflam o número de estudantes nas escolas para elevar o montante de investimentos repassados pelos governos federal e estadual às unidades.

A tecnologia promete captar a frequência do aluno por meio da leitura da face e o bloqueio da duplicidade de matrícula ou matrícula inexistente, diminuir a evasão escolar, agilizar o fechamento do diário eletrônico e evitar retenção escolar. Anteriormente, a mesma prova de conceito foi realizada na Escola Estadual Rodolfo Augusto Trechaud e Curvo, em Cuiabá, e teve a aprovação da comunidade escolar.

Segundo a assessoria da Seduc, não há prazo para a implantação da leitura biométrica facial nas escolas.

_________________________________________________________________________________

 

Quem sabe não há falsa faciação

dos possíveis fugitivos.

Quem sabe a usurpação

ocorra em eventos descabidos.

 

Há "menas" ladroagem

nas santas escolas.

Porque não haverá

nas demais aulas

o falso sentido

da bela educação.

 

Pois o que fazemos

nos imitam.

 

Murilo Conti Vieira

 

15/03/2016

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!