CAPACIDADE MÁXIMA /

Segunda-feira, 24 de Julho de 2017, 15h:18

A | A | A

Lixão de Primavera do Leste continua lotado

Enquanto isso as máquinas trabalham para organizar espaço que já foi considerado condenado pela gestão anterior


Imagem de Capa
Ítalo Berto

Após a declaração do ex-secretário de Desenvolvimento da Indústria, Comércio, Agricultura e Meio Ambiente, Adriano Voight, em novembro de 2016, onde ele afirmou que os cinco hectares do lixão de Primavera do Leste estaria condenado a partir de dezembro do mesmo ano, seis meses se passaram e as providências previstas ainda não foram cumpridas.

Em ação do Ministério Público, até abril de 2016 a prefeitura deveria ter recuperado o lixão e transformá-lo em aterro sanitário, como era em 1999, quando os descartes da cidade passaram a ser dispensados no local. Um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) foi assinado, porém até hoje não foi acatado.

E como a gestão atual trabalha para resolver este problema? Ainda não há como saber! O Diário, pelo período de três meses, tentou entrevista para discutir o assunto com o atual secretário de Meio Ambiente, Tadeu Júnior, mas não teve sucesso. Na última tentativa, sexta-feira (21), o secretário disse, por telefone, que as informações referentes ao lixão seriam repassadas por meio da Assessoria de Comunicação da prefeitura. Em contato com a assessoria fomos informados de que o paço municipal não se pronunciará sobre o lixão.

A equipe do O Diário esteve no lixão na manhã da última sexta-feira (21). O amontoado de lixo já ultrapassa a altura da fiação e das árvores que cercam o local. No ano passado as pilhas de lixo alcançavam os 30 metros de altura. Um pequeno foco de incêndio também foi visto pela nossa equipe. Segundo trabalhadores, o local está há 20 dias queimando. Ainda conforme trabalhadores, eles estão fazendo de tudo para melhorar o descarte dos resíduos, e a informação repassada é de que durante o período de mais um ano os descartes de Primavera do Leste devem continuar a ser dispensados no atual lixão. Por enquanto foi possível perceber que as máquinas trabalham para organizar o espaço, de forma com que caiba mais lixo.

Embora a prefeitura não tenha se pronunciado, em fevereiro desse ano o secretário Tadeu júnior garantiu que medidas estão sendo tomadas para regularizar a situação do lixão. “A intenção é comprar uma área ao lado do atual lixão, que possui cerca de 12 hectares para construção do aterro, onde também deverá funcionar a Cooperativa de Coleta Seletiva e Reciclagem (Cooperlimp). O espaço deve servir para descarte de lixos pelos próximos 25 anos”, disse na época.

O Diário aguarda, ainda, a manifestação do Ministério Público e da Secretaria de Estado de Meio Ambiente, que também foram questionadas sobre a atual situação do Lixão de Primavera do Leste, mas até o momento não encaminhou as devidas respostas.

 

LIXO NA CIDADE

Ao contrário do que requer a maior parte da população, no início do ano o secretário de Meio Ambiente revelou que a intenção da gestão atual não é colocar lixeiras nas vias públicas. “A Secretaria de Meio Ambiente estuda um sistema diferente para o lixo urbano, com a implantação de contêineres nas ruas ao longo desse ano, seguindo projeto implementado em Lucas do Rio Verde, por exemplo”, disse.

Com seis meses para finalizar o ano, a ação da prefeitura referente ao lixo de Primavera do Leste, por enquanto, foi retirar os contêineres implantados pela gestão anterior. (Veja mais informações sobre esse assunto na página 4).

 

 

1 Comentário(s)
É simples. Os irresponsáveis vão empurrando pra frente e não resolvem, depois a prefeitura é autuada, leva uma multa e ai pagam ela com dinheiro público. Teria que sair do bolso deles e não dá população.
enviado por: Anderson em 24/07/2017 às 07:55:20
0
 
0
responder
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
O que você acha que deve ser feito com os carrinhos de lanche em PVA?
Devem ser retirados das avenidas!
Devem permanecer onde estão!
Devem ficar todos na Praça de Eventos!
Devem ser realocados para as praças da cidade!