COMBATE AO TRÁFICO /

Quarta-feira, 14 de Junho de 2017, 16h:41

A | A | A

Forças policiais incineram 340 quilos de entorpecentes em Primavera

Essa é a maior incineração já registrada no município e é resultado do trabalho integrado entre forças policiais


Carregando fotos
Pérsio Souza

Trezentos e quarenta quilos de entorpecentes foram incinerados na tarde desta quarta-feira (14), por volta das 14h, em uma fornalha no Distrito Industrial de Primavera do Leste. A queima das drogas foi acompanhada pela Polícia Judiciária Civil (PJC), Polícia Militar, Polícia Rodoviária Federal (PRF), Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec), Ministério Público, Poder Judiciário e Vigilância Sanitária.

Segundo o delegado titular da Delegacia Regional, Rafael Fossari, esta incineração é a maior já realizada em Primavera do Leste. Porém, ele destaca que pode ocorrer outra incineração ainda este ano, pois “os órgãos de segurança estão apreendendo constantemente drogas com volumes expressivos que chegam até 200 quilos, o que força realizar até mesmo duas queimas no ano”, afirma.

Fossari destaca que a próxima incineração está sendo programada e que poderá chegar a mesma quantidade que essa primeira. “Cerca 90% desta queima foi de maconha e apenas 10% de cocaína. A próxima que queremos fazer é com a pasta base de cocaína, tendo em vista que há um volume grande desta droga apreendida na cidade”, concluiu.

A delegada titular da Delegacia Especializada de Roubos e Furtos (Derf), Anamaria Machado, explica que a incineração das drogas é a fase final do procedimento em que, a autoridade policial solicita ao juiz, junto ao parecer do Ministério Público que os entorpecentes sejam queimados. “Todos se fazem aqui presente para que tudo seja conforme a lei e para mostrar que estamos unidos no combate ao crime. Se não houvessem a união das forças policias integradas no combate à criminalidade, a agilidade no parecer do Ministério Público e a decisão favorável do Poder Judiciário, não teríamos êxito nesses trabalhos.

Anamaria ressalta que ainda este ano querem dobrar o número de prisões e apreensões de drogas.

O perito criminal Felipe Rambo, diz que a Polícia Civil encaminha toda droga apreendida para a Politec para que seja realizada a pesagem, depois os entorpecentes são lacrados e devolvidos. “Nós fazemos o acompanhamento para ter certeza que tudo está fechado da forma que enviamos”, pontua.

O chefe da 5ª Delegacia da PRF de Primavera, Thiago Machado, salienta que parte da incineração dos 340 quilos, é resultado do trabalho integrado das forças policiais. “Nós apreendemos uma parte da droga incinerada e estamos trabalhando 24 horas para coibir qualquer tipo de crime”, finaliza.

 

O PROCESSO

Após a homologação da apreensão, a droga é encaminhada à Politec para laudo preliminar, que guarda um montante para o laudo definitivo, e ainda uma amostra para contraprova. Em todo este processo, o parecer do Ministério Público e a decisão do Poder Judiciário são partes fundamenteis para finalização do processo. 

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
Voce gostaria que a MT-130 até Paranatinga fosse privatizada?
Sim
Não
Tanto faz