MERCADO DE TRABALHO /

Quinta-feira, 15 de Junho de 2017, 07h:00

A | A | A

Falta de experiência atrapalha a conquista do primeiro emprego?

Saiba como adquirir conhecimento e preparo para concorrer vagas de emprego,


Imagem de Capa
Ítalo Berto

Embora Primavera do Leste tenha mantido o saldo de admissões positivo nos primeiros quatro meses de 2017, com 4.562 contratações, 3.769 desligamentos e variação de 793, muita gente ainda enfrenta uma barreira na hora de conseguir emprego. É a exigência de experiência para ser inserido no mercado de trabalho. Na agência do Sistema Nacional de Emprego (SINE) da cidade, por exemplo, todas as vagas disponíveis solicitam experiência e capacitação na área de atuação, o que preocupa quem está em busca do primeiro emprego.

A psicóloga clínica e especialista em recrutamento e seleção de pessoas, Deizi Terossi, explica que, normalmente, as empresas exigem experiência pelo motivo de não terem tempo hábil para treinar o novato para a função, principalmente em vagas bastante técnicas ou de liderança.

Mas nem tudo está perdido para os interessados em iniciar a vida profissional. A especialista destaca que, hoje em dia, há um olhar diferenciado das empresas para os candidatos que não têm experiência, mas apresenta um perfil proativo, com atitude e comprometido. “Isso porque essas pessoas são vistas como funcionários sem vícios adquiridos em outras empresas, sendo assim, existe uma grande chance de ser contratado caso a vaga não seja tão complexa”, observa à psicóloga.

Terossi ressalta que hoje o mercado de trabalho está mais globalizado, e a concorrência, além da exigência por experiência, é outro ponto para que os novatos estejam atentos. Para se diferenciar dos demais candidatos é essencial ter “atitude, comprometimento e intimidade com a tecnologia. O candidato que tem esta habilidade e competência, tem grande chance de ser contratado”, aconselha Deizi. 

Explicando melhor essa intimidade, a psicóloga recomenda que o candidato tenha conhecimento que lhe permita fazer planilhas no Excel, edição de texto no Word, preparos de apresentações em Power Point e pesquisas na internet. “Não basta inserir pacote office no currículo e não ter intimidade com a ferramenta”, diz Terossi.

Sobre o comprometimento a dica da especialista é: “ser pontual no momento da entrevista, lembrando que o candidato é avaliado desde o primeiro contato por telefone, como por exemplo, a forma de atender a ligação, demonstração de interesse, pontualidade ao horário que foi agendado o processo seletivo até a fase final das entrevistas”, detalha Deizi.

A atitude, para a especialista, está relacionada a enviar o currículo para empresa e não esperar ser chamado, mas sim ligar para conversar com o setor de Recursos Humanos, ir pessoalmente até a empresa e demonstrar seu interesse em ocupar a vaga. “Nada de pedir para mãe, pai, tio, tia, avô, irmão e outros. Sempre leve seu currículo. Quando for convocado para entrevista, procure saber sobre a empresa, qual o ramo de atividade e os valores, por meio do site da empresa, caso tenha, ou até mesmo pesquisar por meio de pessoas que já trabalham na instituição”, recomenda Terossi.

Antes de procurar emprego, prepare-se

Órgãos competentes para preparar jovens aprendizes são vistos como a melhor opção para que os jovens de 14 a 24 anos consigam se inserir no mercado de trabalho. Instituições como: Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (SENAI); Serviço Nacional de Aprendizagem Comercial (SENAC); Serviço Nacional de Aprendizagem Rural (SENAR); Serviço Nacional de Aprendizagem do Transporte (SENAT); e

Serviço Nacional de Aprendizagem do Cooperativismo (SESCOOP) são algumas das intituições vinculadas no Ministério do Trabalho e Emprego.

Em Primavera do Leste, Campo Verde e outras sete cidades de Mato Grosso contam com programa Jovem Aprendiz, da Associação Espírita Lar Maria de Lourdes, que segue os mesmos métodos de inserção de jovens que as instituições mencionadas no parágrafo anterior.

Essas instituições possuem cursos de qualificação ao aprendiz, voltados para quem não possui nenhum tipo de experiência profissional, com carga horária de até 1.040 horas de aulas teóricas e treinamentos na empresa onde o jovem deverá trabalhar, geralmente na área administrativa.

No Senac de Primavera do Leste, por exemplo, também é oferecido cursos de qualificação de 160 horas, com direito a estágio, para quem termina o ensino médio.

Conforme a coordenadora do Senac, Paula Graciely Alves, a procura pelas oportunidades, em Primavera do Leste, são boas. E os resultados são positivos. “A maioria das pessoas que se formam estão empregadas no setor público ou privado”, garante a coordenadora.

Para Alves, o curso técnico, hoje, é a melhor opção para conseguir um trabalho com mais agilidade e futuramente dar conta de arcar com os custos de uma faculdade.

Paula também chama a atenção dos pais e adolescentes para a importância de finalizar, além de cursos profissionalizantes, o ensino médio. “Caso contrário é mais difícil conseguir vagas. Não pode parar de estudar. Temos muitos jovens que não estão com os estudos concluídos, e isso é essencial, pois quando aparece uma oportunidade como essa, esse adolescente não tem a chance”, destaca a coordenadora do Senac.

Empresas são obrigadas a contratar jovens aprendizes

Exceto as Microempresas (ME) e as Empresas de Pequeno Porte (EPP), incluindo as empresas que estão no Simples Nacional, as MEIs (Micro Empreendedor Individual), e as entidades sem fins lucrativos que atuem com educação profissional, as demais, ou seja, de médio e grande porte, precisam ter menores aprendizes participando das atividades da empresa. Esta é uma determinação por força da Lei 10.097, desde o ano de 2.000.

Mas nem todas as empresas têm a ciência de que não cumprir essa normativa pode acarretar em multas que podem chegar a R$ 5 mil por dia, caso o Ministério do Trabalho perceba a ausência de aprendizes nas empresas de médio e grande porte. A obrigatoriedade é de que a organização tenha de 5% a 15% de aprendizes no quadro de funcionários.

Para reverter a situação, as empresas precisam procurar algum órgão de capacitação de menores aprendizes. Em Primavera do Leste as opções são o Senac, o Lar Maria de Lourdes e o Senai. É necessário fazer um cadastro e selecionar os menores para trabalhar.

“O menor também tem que ficar de olho na lista das empresas cadastradas, para levar o currículo. A empresa vai fazer a seleção e encaminhar para o Senac, onde farão a matrícula e começarão o curso”, orienta a coordenadora do Senac.

A coordenadora do Lar Maria de Lourdes, Maria Aparecida Guimarães ressalta que o jovem só começa no projeto a partir do momento em que a empresa está interessada no trabalho dele, o contrata e só então é que o jovem começa a fazer o curso, já sendo, desde então, remunerado e com a carteira assinada.

“Temos muito cadastro, mas as empresas que tem que ter a consciência dessa responsabilidade social e realizar as contratações. Tem empresa que aguarda o Ministério do Trabalho autuar, vir multa e uma série de complicações, para contratar os menores”, comenta Guimarães, que também aconselha os pais e os menores a se movimentar e procurar as empresas cadastradas, expor que o adolescente participa dos programas e tentar as vagas diretamente com os gestores.

DICAS PARA ENTREVISTA DE EMPREGO

A psicóloga Deizi Terossi dá outras dicas para garantir bons resultados na busca por trabalho:

- Primeiro as pessoas precisam aprender a fazer um currículo, que contenha informações sobre os conhecimentos e qual a vaga desejada. Cuidado com a formatação do currículo e o cuidado com erros de português é primordial, também para os iniciantes no mercado de trabalho. O currículo deve ser atraente, para que o selecionador tenha vontade de recrutá-lo para entrevista;

- A primeira entrevista de emprego não é tarefa fácil. O nervosismo, a ansiedade e o medo podem atrapalhar. Neste caso, procure dormir cedo um dia antes da entrevista e não enjerir bebida alcoólica. É considerável uma certa ansiedade durante o processo seletivo. Mas caso esteja de uma forma que possa atrapalhar a entrevista, procure ajuda de um psicólogo;

 - Primeiramente, mostre interesse pela vaga e empresa, e procure mostrar ao selecionador que está cheio de vontade de trabalhar e crescer profissionalmente;

 - Não há necessidade de vestir a melhor roupa. Opte pelo básico. Uma camisa de manga longa para homens e uma camisete para mulheres mostram-se excelentes opções. A calça preta é ideal para compor o visual de ambos. Dê preferência aos sapatos fechados;

 - Seja transparente na entrevista e forneça informações verdadeiras ao entrevistador. Assim, o candidato demonstrará credibilidade e segurança;

 - Não usar informalidade durante a entrevista e em momento nenhum se refira ao selecionador com intimidade, usando termos como “querida”, “flor”, “amiga”, dentre outros;

 

 

 

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
O que você acha que deve ser feito com os carrinhos de lanche em PVA?
Devem ser retirados das avenidas!
Devem permanecer onde estão!
Devem ficar todos na Praça de Eventos!
Devem ser realocados para as praças da cidade!