Segunda-feira, 17 de Agosto de 2015, 11h09
AUTOESTIMA, UM PODER EM SUAS MÃOS
Desenvolver a autoestima é fundamental para ser verdadeiramente livre.

Milene Teixeira

Acredito que nos dias de hoje ter autoestima positiva é como carregar consigo uma moeda forte, é uma segurança, a certeza de que se pode conseguir alcançar aquilo que é desejado, ou a enfrentar situações embaraçosas ou a assumir uma determinada postura frente aos outros. A muito os psicanalistas tem observado na clínica que as pessoas têm dificuldades de enxergar seu potencial e suas qualidades, valorizando sempre mais os seus aspectos negativos e as dificuldades, do que as possibilidades e conquistas.

Todos mantém a respeito de si um autoconceito, que é o modo como cada um se percebe. Esse autoconceito é composto de uma parte descritiva (como me vejo! Alto, baixo, magro, gordo, belo ou feio?) que é a autoimagem, e outra avaliativa que é a autoestima. Então, autoestima é como me avalio, é um conjunto de crenças que temos e aceitamos como verdade sobre nós mesmos (inteligente, preguiçoso, esforçado, alegre, complicado...). Nisto esta inserido um sentimento de competência pessoal, daquilo que se acredita poder fazer (a autoconfiança) e um sentimento de valor pessoal, que se aplica naquilo que se pode fazer sem ferir uma ética e uma moral individual (o auto respeito).

Uma pessoa com uma boa autoestima sente-se feliz em receber reconhecimento pelas suas conquistas, sabe-se merecedora dos ganhos que tem, pois reconhece seu trabalho e esforço para conquistá-lo. No entanto, quando erra, aceita mais facilmente as criticas e reconhece tranquilamente seus enganos, isto porque não se cobra perfeição. Olha as pessoas nos olhos, transita por vários ambientes com segurança, e se relaciona com qualquer pessoa.

Ao contrário das pessoas com baixa autoestima, que tendem a cobrar-se por perfeição, anseiam estar no controle de tudo o que se passa a sua volta, como uma forma de manterem-se seguras. A insegurança, aliás, é sempre presente, o que as faz tenderem a serem criticas e exigentes com todos e consigo mesmas. Esse comportamento acaba tornando o ambiente ao seu redor tenso e estressante, tendendo a apresentarem dificuldades em aceitar as falhas ou mudanças, isto porque toleram pouco as frustrações, que são sentidas como perdas. Muitas vezes são pessoas que se preocupam em demasia com o que os outros pensam a seu respeito, buscam no trabalho o reconhecimento do seu valor, culpam os outros pelas suas dificuldades ou fracassos (consideram-se sempre vitimas), são mais suscetíveis a problemas com álcool e drogas e geralmente estão acima do peso, evitam emitir opiniões e demonstrar sentimentos.

Desenvolver uma boa autoestima é essencial para sentir-se livre, para ser liberto das amarras do julgamento alheio, para se caminhar com passos firmes pela vida, em busca da realização dos projetos que se sonhou, das conquistas que se planejou. Mas como conseguir isso? Sendo SEMPRE verdadeiro com seus sentimentos, e permitindo-se expressar aquilo que se sente e pensa. Permitindo-se fazer o que se tem vontade, construindo seu amor próprio. Se não se consegue fazer isso sozinho, é hora de procurar uma ajuda profissional, pois o amor verdadeiro a si próprio e o reconhecimento do seu valor é o começo de uma mudança na vida, que leva a se ter respeito próprio, cuidado consigo, e com isso, mais amor para com os outros, mais qualidade de vida, e consequentemente, mais alegrias. E não é esse o desejo de todos, SER FELIZ?

 

 


Fonte: Clique F5
Visite o website: http://cliquef5.com.br