Segunda-feira, 27 de Julho de 2015, 19h12
VIDA
Ei, desce daí! A vida é aqui e agora!
A vida passa tão depressa. São muitos afazeres e ainda nos falta tempo.

DRIELY PINOTTI

Da janela do meu quarto eu vejo a vida e as pessoas passarem. E percebo que pela falta do tal tempo, elas acabam não sendo autores das suas próprias vidas, seguindo a famosa teoria de Zeca Pagodinho: “Deixa a vida me levar, vida leva eu”.

Mas nessa sociedade moderna em que vivemos, onde é preciso trabalhar muito e fazer tudo ao mesmo tempo, fica difícil escrever a nossa própria história. Não é?

Só que eu não quero saber “dessa gente toda, dessa pressa tanta, desses dias cheios e dos meios-dias gastos”, como diz Cícero.

Eu também não quero ser vagalume cego. Porque todos os dias na minha conta do banco VIDA são depositados 86.400 segundos. Isso para mim é tempo pra caramba.

Consigo escrever no livro da minha vida um romance, uma história de uma mulher bem sucedida ou de uma mulher sonhadora, desastrada, divertida e louca.

Eu não quero saber de perder nenhum segundo, eu não quero perder nada enquanto os meus olhos piscarem.

Eu quero sorrir, chorar e dançar na chuva com os pés na lama.

Quero viver, porque não quero aprender a essência da vida, de uma forma mais cruel.

 

Teoria de Marcelo Jeneci

“Haverá um dia em que você não haverá de ser feliz

Sentirá o ar sem se mexer

Sem desejar como antes sempre quis

Você vai rir, sem perceber

Felicidade é só questão de ser

Quando chover, deixar molhar

Pra receber o sol quando voltar

 

Lembrará os dias

que você deixou passar sem ver a luz

Se chorar, chorar é vão

porque os dias vão pra nunca mais

 

Tem vez que as coisas pesam mais

Do que a gente acha que pode aguentar

Nessa hora fique firme

Pois tudo isso logo vai passar

 

Melhor viver, meu bem

Pois há um lugar em que o sol brilha pra você

Chorar, sorrir também e depois dançar

 

 

Na chuva quando a chuva vem”


Fonte: Clique F5
Visite o website: http://cliquef5.com.br