Segunda-feira, 11 de Junho de 2018, 17h51
ARTIGO
É o amor!
E se tratando de amor existe um detalhe curioso, onde do nada alguém pode se tornar tudo e mesmo sendo uma pessoa estranha torna se imprescindível em nossas vidas

Jean Carlos -

“... É o amor; Que mexe com minha cabeça; E me deixa assim; Que faz eu pensar em você; E esquecer de mim; Que faz eu esquecer que a vida; É feita pra viver; É o amor; Que veio como um tiro certo; No meu coração; Que derrubou a base forte da minha paixão; Que fez eu entender que a vida; É nada sem você...”, quando o assunto é o amor, não tem como não lembrar dessa canção de Zezé de Camargo lançada a 27 anos atrás e que faz sucesso até hoje, e em clima de dia dos namorados iremos falar um pouco sobre o Amor.

Diante das muitas faces do amor, esse seria o responsável pela atração entre duas pessoas e o desejo de estar perto de seu amado ou amada nos melhores e piores momentos, como já dizia Vinicius de Moraes, “O amor é uma agonia; Vem de noite, vai de dia; É uma alegria; E de repente; Uma vontade de chorar”. O amor nos desperta fortes emoções, nos leva de um extremo ao outro em questões de segundos, ele acalma a raiva gerado por ele mesmo e também é alimentado pela reciprocidade.

E se tratando de amor existe um detalhe curioso, onde do nada alguém pode se tornar tudo e mesmo sendo uma pessoa estranha torna se imprescindível em nossas vidas, com isso compreendemos a frase de Tom Jobim quando disse, “É, só eu sei quanto amor eu guardei sem saber que era só para você.”, e vemos que o amor rompe barreiras do tempo, classe social, cor e raça, o amor é algo tão grandioso que as melhores canções falam de amor, os mais belos poemas também falam de amor.

Na Bíblia livro de primeiro Coríntios capítulo 13 e versículo 4-7 diz “O amor é paciente, o amor é bondoso. Não inveja, não se vangloria, não se orgulha. Não maltrata, não procura seus interesses, não se ira facilmente, não guarda rancor. O amor não se alegra com a injustiça, mas se alegra com a verdade. Tudo sofre, tudo crê, tudo espera, tudo suporta.”. Com isso seria hipocrisia dizer que não somos movidos pelo amor, todos nós amamos, mas cada um tem seu jeito particular de expressar esse sentimento que é inerente ao ser humano.

Demostre seu amor, seja por quem for tão somente ame e curta muito esse dia dos namorados com o mozão, para fechar quero citar Carlos Drummond de Andrade com o poema Quero, que diz “ Quero que todos os dias do ano, todos os dias da vida, de meia em meia hora, de 5 em 5 minutos, me digas: Eu te amo.”.

 Jean Carlos

Professor de Ciências da Natureza e Matemática.

 


Fonte: Clique F5
Visite o website: http://cliquef5.com.br