Quarta-feira, 10 de Janeiro de 2018, 18h17
EDUCAÇÃO
Cerca de 400 crianças podem ficar sem vagas em creches de Pva
Alunos que se encontram em fila de espera desde 2017 terão prioridade

Ítalo Berto

Pais de aproximadamente 600 crianças aguardam vagas nas 13 unidades de creche existentes em Primavera do Leste. Com a situação da deficiência na educação infantil no município - problema que se arrasta há anos - pelo menos 400 crianças ainda ficarão na fila de espera por uma vaga no ano de 2018. Conforme a Secretaria Municipal de Educação, para os estudantes de quatro e cinco anos (pré-escola) e também para os alunos do 1º ao 6º ano do ensino fundamental, que têm o direito da educação mantido pelo poder público municipal, as vagas estão em situação regular, sem fila de espera.

A previsão da falta de vagas para alunos de zero a três anos foi reconhecida e esclarecida em entrevista com a nova secretária de educação. Adriana Tomasoni voltou para a gestão da secretaria nesta segunda-feira (8) e Jonaldo Teixeira volta para a coordenação da Universidade Aberta do Brasil (UAB) – polo Primavera.

Tomasoni revelou que para as creches o gasto do poder executivo é maior, principalmente com o quadro de funcionários. “É preciso de pelo menos três professores dentro de uma sala de aula, dependendo dos casos. Manter o ensino infantil é mais caro. Reconhecemos que há essa deficiência na educação infantil em nosso município, mas estamos tomando as medidas necessárias para chegarmos as soluções”, comenta a secretária.

Em 2018 as crianças que já aguardavam na fila por uma vaga em creches do município terão prioridade na hora da matrícula.

Com relação as extensas filas que se formam na frente das unidades escolares, todos os anos, no período das inscrições, a secretária diz que uma lista com as vagas restantes estará disponível nas escolas a partir do dia 23 de janeiro. “Não tendo mais vagas para a idade do seu filho naquela unidade, não há motivos para enfrentar as filas na frente das escolas”, orienta Adriana.

As datas estabelecidas para as matrículas da rede municipal de ensino é de 24 a 26 de janeiro. Neste ano os horários de atendimento nas unidades serão das 7h às 11h e das 13h às 17h.

É importante ressaltar que, ainda de acordo com a secretária, a fila de espera será obedecida por ordem e os nomes serão chamados para as vagas disponíveis nas 13 unidades, e não necessariamente apenas nas escolas que estão mais próximas dos solicitantes.

Aos pais, crianças de quatro e cinco anos, obrigatoriamente, precisam estar matriculadas na pré-escola. E o município também é obrigado a disponibilizar vagas. “Já para as crianças de zero a três anos, disponibilizamos vagas conforme nossas possibilidades”, explica a secretária.

Possibilidades essas que podem aumentar caso as intenções da Secretaria de Educação sejam concluídas em 2018. Segundo Tomasoni, a pasta está dando andamento à construção da escola municipal que está parada há mais de um ano no Jardim Luciana. Além disso, a secretária garante que a escola Nossa Senhora Aparecida, localizada no bairro Tuiuiú, já tem projeto para ampliação e a conclusão está prevista para ocorrer até a metade deste ano, o que aumenta o número de vagas para o ensino fundamental no município.

Já para o início do ano letivo esta mesma unidade passa atender a população de forma compartilhada. Até o 6º ano os custos serão mantidos pelo município, e do 7º ao 9º ano as finanças passam a ser de responsabilidade do governo do Estado.

Ainda na região do Tuiuiú, no Guterres, por conta das novas moradias, a construção de uma escola estadual deve ser iniciada em 2018, conforme informações repassadas por Tomasoni.

 

 


Fonte: Clique F5
Visite o website: http://cliquef5.com.br