Terça-feira, 09 de Janeiro de 2018, 19h51
JUSTIÇA
MP também pediu a retirada de famílias às margens da BR 070
Reunião para tratar sobre o assunto será realizada hoje (10) no gabinete

Jaqueline Hatamoto

 

 

 

Além de duas liminares que concedem a reintegração de posse da área às margens da BR 070 – sentido Barra do Garças, em favor do Departamento Nacional de Infraestrutura – Dnit e da Prefeitura Municipal, o Ministério Público, através de uma ação civil pública também solicitou a retirada das famílias da região.

De acordo com levantamento feito pelo Jornal O Diário, o Ministério Público, através do promotor Silvio Alessi Junior, entrou com uma ação para retirada de famílias que estavam ocupando uma Área de Preservação Permanente, fora da faixa de domínio do Dnit, portanto pertencentes ao município de Primavera do Leste. Em relação ao caso, o promotor que atualmente está em Cuiabá, disse que: “existe uma ação na Justiça Federal, porquê a área pertencente a União. Eu entrei também com uma ação, mas em relação a uma Área de Preservação Permanente, para retirada de alguns moradores. Os dois casos possuem liminar para desocupação da área”, ressaltou.

A equipe do jornal O Diário, também entrou em contato com a Prefeitura para saber porque as decisões não foram cumpridas até agora, e o que o Poder Público pretende fazer para solucionar o problema dessas famílias. Fomos informados via Assessoria de Imprensa, que hoje (10), uma reunião será realizado entre o prefeito e a equipe, onde será discutido o problema.

A assessoria se comprometeu a responder os questionamentos do Jornal O Diário, logo após a reunião.

 

INUNDAÇÕES: BACIAS DE CONTENÇÃO SÃO CONSTRUÍDAS PARA EVITAR NOVOS ALAGAMENTOS

Após alagamentos que ocorreram em Primavera do Leste, devido as fortes chuvas no sábado (05), que culminaram no alagamento de moradias às margens da BR 070, sentido Barra do Garças, bacias de contenção foram construídas próxima a rodovia, o objetivo é que parte das águas pluviais fiquem retidas e não descendo para os locais onde estão localizados os barracos.

“No ano passado nós realizamos o mesmo procedimento e foi o que ajudou a segurar a água, porém, neste ano o volume de chuva foi maior, e as bacias de contenção acabaram estourando, aproveitamos os dias sem chuva e estamos refazendo o serviço, para tentar minimizar o problema de alagamentos”, explicou o Superintendente de Obras Públicas, Henrique Gatto.

 

 

OUTROS PONTOS

Em relação a outros pontos de alagamentos da cidade, como Rua do Comércio com a Rua Miasótis no bairro Pioneiro, viaduto da MT 130, Avenida Novo Horizonte e área central da cidade, o Poder Público destacou que as obras devem ser iniciadas em abril de 2018 e devem ser concluídas em 180 dias.

Aproximadamente R$ 5 milhões serão investidos para resolver a falta de drenagem na área Central e região da Avenida Florianópolis. Somente no centro da cidade serão colocados com 7.532 metros de tubulação.

O recurso é oriundo de repasse federal garantido em dezembro de 2017.


Fonte: Clique F5
Visite o website: http://cliquef5.com.br