igesportes /

Quarta-feira, 20 de Dezembro de 2017, 15h:00

A | A | A

Confira três dicas para proteger seu Wi-Fi e evitar ataques ao seu computador

Em nova estratégia, cibercriminosos criam redes com o nome da original para induzir vítimas a trafegarem dados pessoais com interferência de terceiros


Imagem de Capa

Brasil Econômico

Segundo especialista, primeiro passo para proteger sua rede Wi-Fi é atualizar programas e sistema operacional
shutterstock
Segundo especialista, primeiro passo para proteger sua rede Wi-Fi é atualizar programas e sistema operacional

Descoberta pelo pesquisador belga Mathy Vanhoef, a falha KRACK (da expressão em inglês Key Reinstallation Attack ou ataque de resinstalação de chaves) fez com que muitas redes Wi-Fi, até então consideradas protegidas, se tornarem menos seguras. A estratégia utilizada por cibercriminosos permite que qualquer pessoa no alcance de um roteador consiga se conectar mesmo se não tiver a senha de acesso.

Leia também: Saiba como apagar as principais informações que o Google tem sobre você

A falta de proteção para o Wi-Fi está relacionada à segurança de dados armazenados no computador ou de outras informações enviadas pela internet. Ao se conectar a uma rede, um hacker pode, por exemplo, se apropriar do que é trafegado, como informações bancárias, senhas e arquivos. O risco é ainda maior em um ambiente corporativo, já que é possível acessar planilhas, estratégias de negócios e análises de mercado.

Leia também: Wi-Fi consome mais bateria? Veja mitos e verdades sobre celulares

Para ajudar usuários que buscam proteger uma rede, Gabriel Dias, líder de projetos IoT da Semantix, listou algumas dicas. A estratégia do ataque está na criação de uma rede alternativa com o mesmo nome da original para induzir os usuários a conectarem seus dispositivos nela e trafegarem informações que são interceptadas por um terceiro. Veja como se proteger:

1) Mantenha seus sistemas atualizados

Segundo Gabriel, o primeiro passo para proteger sua rede é atualizar o firmware dos roteadores, isto é, o programa que já vem instalado nestes aparelhos. Também é importante manter os softwares e sistemas operacionais do seu computadores com as versões mais recentes. A maioria dos grandes fornecedores lançou, com frequência, correções de segurança que auxiliam na proteção do Wi-Fi.

2) Evite riscos desnecessários

Quando alguns fornecedores não realizam atualizações para corrigir falhas como a KRACK, o ideal é confiar seus dados e informações pessoais somente em sites que utilizam o protocolo SSL, que complementa o HTTP, transformando-o em HTTPS. A mudança garante a segurança e a criptografia externa de tudo o que trafega entre sua rede e o site.

3) Proteja-se

Pensando nas empresas, ataques cibernéticos podem prejudicar companhias por conta do roubo de dados críticos ou até mesmo por conta da exposição de dados de clientes – como o ocorrido com a Uber . No entanto, proteger estas informações não é algo simples e exige conhecimento específico. Para uma empresa proteger seu Wi-Fi, Gabriel orienta dar prioridade para investimentos em cibersegurança, visto que dados corporativos são ativos valiosos e podem custar a vida de um negócio se caírem em mãos erradas.

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
O que você acha que deve ser feito com os carrinhos de lanche em PVA?
Devem ser retirados das avenidas!
Devem permanecer onde estão!
Devem ficar todos na Praça de Eventos!
Devem ser realocados para as praças da cidade!