Saúde /

Terça-feira, 15 de Maio de 2018, 16h:24

A | A | A

Dieta rica em fibras pode combater a gripe, aponta estudo feito com camundongos

shutterstock Apesar de estudo feito com camundongos ser bem-sucedido, ainda é preciso testar a dieta de fibras em humanos Uma pesquisa feita com...


Imagem de Capa
Apesar de estudo feito com camundongos ser bem-sucedido, ainda é preciso testar a dieta de fibras em humanos
shutterstock
Apesar de estudo feito com camundongos ser bem-sucedido, ainda é preciso testar a dieta de fibras em humanos

Uma pesquisa feita com camundongos apontou que uma dieta rica em fibras pode ajudar o sistema imunológico a combater infecções pelo vírus da gripe. O estudo foi publicado na revista “ Immunity ” nesta terça-feira (15).

Leia também: Não confunda com gripe ou resfriado: aprenda a identificar a bronquiolite

De acordo com o artigo desenvolvido por cientistas da Universidade de Monash, na Austrália, as fibras atuam na atividade das células T, que pertencem ao sistema imune, e também previnem uma ação extrema do sistema imunológico.

O estudo indica que a fibra tem um efeito modulador, interessante para a prevenção de alergias, causadas por uma reação exagerada do sistema imune, e de infecções , provocadas por agentes externos.

Foi possível constatar que as fibras também aumentaram a sobrevida dos camundongos que foram afetados pelo vírus.

Apesar de estar em caráter experimental, a pesquisa indica que dietas ricas em açúcar e pobre em fibras pode fazer com que o indivíduo esteja mais propenso a ter infecções.

Exemplos de alimentos ricos em fibra são aveia, folhas verdes e frutas, como maçã, pera, ameixa, manga, laranja. Além disso, cereais, como linhaça e chia, e outros grãos também apresentam grandes quantidades do composto.

Leia também: Funciona mesmo? Dói? Quem pode tomar? Tire suas dúvidas sobre a vacina da gripe

Como funciona

Para conseguir o efeito que combate infecções pelo vírus influenza , conhecido como o vírus da gripe , o estudo mostrou que é a fermentação das fibras que aumenta a produção de um grupo de ácidos graxos, da cadeia curta (AGCCs). Esses compostos já foram apontados como benéficos para enfrentar doenças inflamatórias.

"Os efeitos benéficos da fibra dietética em uma variedade de doenças inflamatórias crônicas, incluindo asma e alergias, receberam atenção substancial nos últimos anos", afirma o autor sênior do estudo Benjamin Marsland, da Universidade de Monash (Austrália), em nota.

"Estávamos preocupados se esses tratamentos pudessem aumentar a suscetibilidade a infecções", declarou. O medo se deu já que as fibras alteram o sistema imune, modulando sua ação.

A maior preocupação era em torno da infecção pelo vírus influenza A , que é especialmente importante, tendo em vista que cerca de 20% da população mundial é infectada pelo vírus todos os anos.

Porém, o resultado foi melhor do que o esperado. "O que nos surpreendeu foi que a fibra dietética estava seletivamente desligando parte do nosso sistema imunológico ", completa Benjamin Marsland.

É importante ressaltar que o estudo não foi feito em humanos, e sim em camundongos, o que pode significar que a ação das fibras no organismo seja diferente. Por isso, ainda é preciso que mais estudos sejam feitos para determinar a quantidade e o tipo de fibra que pode ser mais efetivo em humanos.

Segundo os pesquisadores, esse é o próximo passo para verificar o benefício da ingestão de fibras em alergias e outras infecções para humanos.

Leia também: Fake news: não existe vírus da gripe H2N3 circulando no Brasil, diz ministério

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
Você é a favor ou contra a revitalização das Avenidas de Primavera?
A favor.
Contra.
Não tenho opinião formada sobre o assunto.