politica /

Quarta-feira, 14 de Junho de 2017, 01h:10

A | A | A

Ex-presidente da Petrobras, Aldemir Bendine, será investigado na Lava Jato

Em delações, executivos da Odebrecht acusam Bendine de solicitar e receber propina de R$ 3 milhões quando ainda era presidente do Banco do Brasil


Imagem de Capa
O inquérito aberto sobre Aldemir Bendine será mantido em sigilo, conforme decisão de juiz Sérgio Moro
Lula Marques/ Agência PT - 14.10.15
O inquérito aberto sobre Aldemir Bendine será mantido em sigilo, conforme decisão de juiz Sérgio Moro

O juiz federal Sérgio Moro autorizou a abertura de inquérito sobre o ex-presidente da Petrobras Aldemir Bendine, citado nas delações dos empresários da Odebrecht, na Operação Lava Jato, no Paraná.

Leia também: Juiz Sérgio Moro aceita denúncia contra três ex-gerentes da Petrobras

O Ministério Público Federal (MPF) fez o pedido de abertura das investigações no dia 5 de junho. A decisão de Moro veio na última sexta-feira (9). Com isso, a Policia Federal cuidará do caso que envolve Aldemir Bendine , que durante o período entre abril de 2009 e fevereiro de 2015 foi presidente do Banco do Brasil, e no mesmo mês, foi nomeado à presidência da Petobrás, renunciando em maio do ano passado.

O inquérito, que irá tramitar sob sigilo, de acordo com o magistrado, para “preservar as diligências ainda a serem realizadas”. “Deverá porém a autoridade policial franquear o acesso ao conteúdo do inquérito aos investigados quando pretender tomar-lhes os depoimentos, pelo menos com cindo dias de antecedência”, determinou Moro.

Segundo os depoimentos de Marcelo Odebrecht e Fernando Reis, Bendine solicitou R$ 3 milhões para facilitar negociações da empreiteira com a Petrobras. Os delatores afirmam  que a propina foi paga em espécie, por meio de um intermediário.

Leia também: Ministros criticam decisão de Fachin de retirar sigilo das delações da Odebrecht

Histórico

Em 2015, Bendine foi indicado para a presidência da petroleira para acabar com a corrupção na estatal, que já era alvo da Lava Jato. Mas, segundo os empresários da empreiteira, ele já cobrava propina desde a época do Banco do Brasil, e continuou fazendo isso depois que passou para a Petrobras.

O pedido, segundo os delatores, foi feito em 2014, quando Bendine respondia pelo Banco do Brasil. No depoimento de Fernando Reis, o ex-executivo afirma que um representante do ex-presidente da petroleira, o publicitário André Gustavo Vieira da Silva, queixando-se sobre o ex-ministro da Fazenda Guido Mantega.

"Que o Guido mandava sempre o Aldemir fazer as coisas, que ele fazia, que tinha a percepção que o então ministro Guido Mantega fazia parte da arrecadação e que ele, Bendine, só recebia as ordens e não recebia nada, então ele queria tentar estabelecer conosco um canal para o Aldemir Bendine”, disse Reis durante delação.

A defesa de Aldemir Bendine nega que ele tenha beneficiado qualquer empresa e que sempre se pautou nos limites da lei. Os advogados ainda informaram que o ex-presidente da Petrobras está ”à disposição para esclarecer todos os fatos apresentados no inquérito”.

Leia também: Por 3 votos a 2, STF nega pedido de liberdade e mantém presa irmã de Aécio Neves

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
O que você acha que deve ser feito com os carrinhos de lanche em PVA?
Devem ser retirados das avenidas!
Devem permanecer onde estão!
Devem ficar todos na Praça de Eventos!
Devem ser realocados para as praças da cidade!