politica /

Quarta-feira, 14 de Junho de 2017, 16h:10

A | A | A

Eduardo Cunha depõe à PF em inquérito que investiga Temer

Defesa do ex-presidente da Câmara tentou adiar interrogatório alegando que não teve acesso ao conteúdo da investigação; suposto aval de Temer a plano de Joesley Batista para comprar o silêncio de Cunha é investigado


Imagem de Capa
Suposto aval de Temer à compra do silêncio de Eduardo Cunha é investigado em inquérito relatado por Fachin no STF
Antônio Cruz/Agência Brasil - 18.11.15
Suposto aval de Temer à compra do silêncio de Eduardo Cunha é investigado em inquérito relatado por Fachin no STF

O ex-presidente da Câmara dos Deputados Eduardo Cunha (PMDB)  depõe nesta quarta-feira (14) na Superintendência da Polícia Federal em Curitiba. A audiência começou às 11h e conta com a presença de um representante da Procuradoria-Geral da República (PGR).

O interrogatório de Eduardo Cunha  se dá no âmbito do inquérito que investiga o presidente Michel Temer, processo que tramita no Supremo Tribunal Federal (STF) e se baseia nas delações premiadas de executivos do grupo JBS. Um dos elementos que endossam as investigações é uma gravação de conversa entre o dono do grupo, Joesley Batista, e Michel Temer. No diálogo, registrado em março deste ano no Palácio do Jaburu, o empresário faz menção a pagamentos à família de Cunha e o presidente Temer responde com a emblemárica frase "tem que manter isso, viu?".

A defesa de Cunha pediu na noite dessa terça-feira (13) que o relator do inquérito no STF, ministro Edson Fachin, liberasse o acesso às investigações da JBS, inclusive a gravação de Batista, com antecedência mínima de 48 horas do depoimento à PF. Por isso, o documento enviado à Corte também pediu a readequação da pauta da audiência marcada para esta manhã.

Leia também: Primo de Aécio devolve R$ 1,5 milhão recebido do grupo JBS

Condenado a 15 anos e 4 meses de prisão no âmbito da Operação Lava Jato, Cunha está preso desde outubro do ano passado no Complexo Médico-Penal em Pinhais, na região metropolitana de Curitiba.

O presidente Temer nega as acusações da PGR. Em documento enviado ao STF na semana passada, a defesa de Michel Temer afirmou que ele é "coadjuvante de uma comédia bufa, encenada por um empresário e criminoso confesso e agora está sendo objeto de uma inquirição invasiva, arrogante, desprovida de respeito e do mínimo de civilidade". A defesa do peemedebista pede o arquivamento das investigações.

Delação

O ex-presidente da Câmara está pressionado pelas movimentações do doleiro Lúcio Funaro , que sinaliza ter a intenção de fechar um acordo de delação premiada. Uma vez que Funaro também é mencionado nas delações de executivos da JBS e é apontado como operador de propina nos esquemas que envolvem Eduardo Cunha, uma eventual delação premiada pode fazer com que os investigadores percam o interesse em fechar acordo também com o ex-deputado. 

Leia também: Joesley Batista volta para o Brasil e presta depoimento à Procuradoria

*Com informações da Agência Brasil

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
O que você acha que deve ser feito com os carrinhos de lanche em PVA?
Devem ser retirados das avenidas!
Devem permanecer onde estão!
Devem ficar todos na Praça de Eventos!
Devem ser realocados para as praças da cidade!