Nacional /

Quarta-feira, 12 de Junho de 2019, 08h:30

A | A | A

Jornalista preso em Moscou acusado de tráfico é internado após passar mal

Reprodução/TheGuardian Ivan Golunov, jornalista preso em Moscou acusado de tráfico de drogas, foi internado após passar mal O jornalista investigativo...


Imagem de Capa
Jornalista Ivan Golunov
Reprodução/TheGuardian
Ivan Golunov, jornalista preso em Moscou acusado de tráfico de drogas, foi internado após passar mal

O jornalista investigativo russo Ivan Golunov, acusado por tentativa de tráfico de drogas, foi internado neste sábado (8) após "se sentir mal". Golunov, repórter do jornal on-
line independente Meduza , com sede na Letônia, foi detido na quinta-feira (6), em Moscou.

Leia também: Navios de guerra de EUA e Rússia quase colidem no Pacífico

Segundo a polícia, no momento da detenção do jornalista , ele carregava em sua mochila cinco envelopes de mefedrona, uma droga sintética. Seus seguidores, no entanto, afirmam que
a acusação é uma armação para punir suas investigações sobre corrupção nas mais altas esferas políticas

O advogado de Goluvnov denunciou à AFP que seu cliente foi maltratado durante a detenção . "Ivan Golunov foi acusado de tentativa de tráfico", escreveu seu advogado Pavel Chikov no aplicativo de mensagens Telegram.

De acordo com um comunicado divulgado pela polícia, o jornalista foi internado após "se sentir mal". Golunov deveria ser apresentado neste sábado diante de um tribunal que
decidirá se ele continua preso. Se for considerado culpado, pode ser condenado a até 20 anos de prisão, segundo o editor-chefe do Meduza , Ivan Kolpakov.

Leia também: Putin diz que quem apoia Juan Guaidó na Venezuela é 'louco'

"Estamos convencidos de que Ivan Goluvnov é inocente. Temos razões para acreditar que Goluvnov está sendo perseguido por suas atividades jornalísticas", declarou, em comunicado,
a direção do Meduza. "A reputação profissional de Ivan Goluvnov é irretocável. É um jornalista detalhista, honesto e imparcial".

Jornalista publicou denúncias contra autoridades russas

Goluvnov publicou investigações sobre fraudes em vários setores da economia russa, incluindo na prefeitura de Moscou e até no serviço funerário.

A ONG Repórteres sem Fronteiras afirmou que a detenção pode levar a "uma escalada significativa da perseguição" de jornalistas independentes na Rússia. Na sexta-feira, 15
pessoas, incluindo seis jornalistas, foram presas pela polícia em Moscou, durante ato contra a polêmica prisão do repórter.

"Acredito que seja uma armação", disse Anna Narinskaya, outra jornalista detida nos atos de sexta-feira. "É uma vingança pelas investigações de Goluvnov", acrescentou.

Leia também: Explosão em fábrica de explosivos na Rússia deixa 80 pessoas feridas

A Anistia Internacional disse que as acusações são "duvidosas e seguem um esquema já conhecido, infelizmente". A Rússia está na 149ª posição na classificação de liberdade de
imprensa da ONG Repórteres Sem Fronteiras, atrás de México, Zimbábue e Argélia. Vários jornalistas foram agredidos e assassinados nos últimos anos.

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
Você é a favor ou contra a revitalização das Avenidas de Primavera?
A favor.
Contra.
Não tenho opinião formada sobre o assunto.