TRATAMENTO /

Quinta-feira, 12 de Abril de 2018, 13h:28

A | A | A

Internada em estado grave, criança com leucemia precisa de doação de sangue

Foi diagnosticada com Leucemia Linfoide Aguda (LLA) e necessita de doadores de sangue, plaquetas e medula óssea.


Imagem de Capa
G1 MT

Uma criança de 6 anos está internada em estado grave na Santa Casa da Misericórdia na capital. Maria Eduarda Santos Sandoval foi diagnosticada com Leucemia Linfoide Aguda (LLA) e necessita de doadores de sangue, plaquetas e medula óssea.

O pai dela, Guilherme Sandoval, explica que, após três anos de tratamento contra a doença, ela começou a passar mal novamente na semana passada. A família a levou para o hospital, onde foi realizado exames e constatou plaquetas baixas.

“Fizeram o tratamento de reposição de plaquetas, mas ela não melhorou. Na segunda-feira (9), os médicos fizeram a pulsão de medula e constatou que a leucemia voltou”, disse.

 

A doença foi descoberta em julho de 2015, quando foi para a casa da avó e, na hora do banho, a tia da criança percebeu um caroço no pescoço.

 

“Neste dia, minha irmã percebeu que Maria Eduarda estava com um caroço e mais quieta que o normal. Levamos ela para o pronto-atendimento do Hospital Santa Rosa e, após exame de sangue, foi constatado que as plaquetas estavam muito baixas”, contou.

Doença foi descoberta em julho de 2015 (Foto: Guilherme Sandoval/ Arquivo pessoal)

Guilherme explica que na época havia um grande surto de dengue hemorrágica e os médicos desconfiaram que poderia ser mais um caso.

 

“O médico mandou fazer reposições de plaquetas e, quando realizamos o exame novamente, as plaquetas continuavam baixas. Foi então que o médico decidiu fazer a pulsão de medula e ela foi diagnosticada com leucemia linfoide aguda”, explicou.

 

De acordo com a família, Maria Eduarda foi encaminhada para a Santa Casa da Misericórdia, onde possui o tratamento, e lá realizou o tratamento da doença por mais de dois anos e, por seis meses, foi acompanhada pelos médicos. Depois disso, foi liberada.

 

Pouco tempo depois de ter feito o tratamento, a leucemia voltou e, segundo a família, os médicos informaram que dessa vez a doença retornou com mais gravidade.

 

Familiares e amigos de Maria Eduarda realizam campanha através das redes sociais e pedem ajuda no tratamento da criança.

 

As pessoas que tiverem interesse em ajudar, também necessário comparecer ao Hemocentro, realizar o cadastro no Registro Nacional de Doadores de Medula Óssea (Redome) e doar 5 ml de sangue.

 

Depois disso, poderá ser doador de medula óssea qualquer pessoa que seja compatível dentro do país.

 

“Quanto mais pessoas estiverem cadastradas, maior é a chance de alguém ser compatível com a Duda. As dificuldades são grandes, ficamos emocionalmente muito abalados, mas vai dar tudo certo”, disse a avó Dagliane dos Santos.

 

 

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
O que você acha que deve ser feito com os carrinhos de lanche em PVA?
Devem ser retirados das avenidas!
Devem permanecer onde estão!
Devem ficar todos na Praça de Eventos!
Devem ser realocados para as praças da cidade!