PANE SECA /

Sexta-feira, 13 de Abril de 2018, 14h:38

A | A | A

Falta de combustível derruba avião que saiu de MT e matou 3

O objetivo da investigação realizada pelo Cenipa é prevenir que novos acidentes com características semelhantes ocorram.


Imagem de Capa
FOLHA MAX

Um relatório preliminar indica que a possível causa da queda do avião que matou três pessoas em Rio Preto (SP), em outubro de 2017, foi falta de combustível. A informação sobre o andamento da ocorrência está disponível no site do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa).

 

A assessoria de imprensa da Força Aérea Brasileira (FAB) informou que no reporte preliminar as informações são superficiais e coletadas a partir das evidências do acidente. “A pane seca foi informada no reporte preliminar como uma tipificação. Foi a primeira evidência do acidente, mas isso pode mudar. Os reportes preliminares são divulgados apenas para dar transparência ao processo de investigação, mas não é conclusivo”, explica a assessoria.

 

Ainda segundo a FAB, o Cenipa chegou a este reporte através de indícios buscados no local do acidente, entrevistas com testemunhas da queda da aeronave e também análise da fuselagem do avião. A investigação não tem previsão para ser finalizada porque depende da complexidade do acidente, segundo a FAB.

 

Em nota, a assessoria de imprensa da Força Aérea Brasileira disse que “o objetivo da investigação realizada pelo Cenipa é prevenir que novos acidentes com características semelhantes ocorram. A necessidade de descobrir todos os fatores contribuintes garante a liberdade de tempo para a investigação. A conclusão de qualquer investigação conduzida pelo Cenipa terá o menor prazo possível, dependendo sempre da complexidade do acidente.”

 

O monomotor, de prefixo PT-DDB, saiu de Tangará da Serra (MT) na manhã de segunda-feira (9) com destino a Rio Preto, mas caiu a 300 metros do aeroporto, por circunstâncias ainda desconhecidas.

 

Nele estavam o piloto William Rayes Sakr, de 58 anos, o médico Allyson Lima Verciano, de 33, e o empresário Caique Caciolato, de 25. Os três morreram com o impacto da aeronave no solo.

 

O avião se chocou "de bico" no quintal da residência. Parte da asa ficou dentro da piscina da casa.

 

Técnicos do Centro de Investigação e Prevenção de Acidentes Aeronáuticos (Cenipa) retiraram o motor e algumas peças do monomotor no dia seguinte ao acidente para investigar o caso.

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
O que você acha que deve ser feito com os carrinhos de lanche em PVA?
Devem ser retirados das avenidas!
Devem permanecer onde estão!
Devem ficar todos na Praça de Eventos!
Devem ser realocados para as praças da cidade!