Meio ambiente /

Quarta-feira, 06 de Dezembro de 2017, 21h:01

A | A | A

Nova legislação visa modernizar política florestal em Mato Grosso

As alterações propõem a regulamentação o Plano de Suprimento Sustentável (PSS) integrado ao licenciamento ambiental para grandes empresas consumidoras de tora, lenha e carvão


Imagem de Capa
Essas normativas visam aprovar e regulamentar o Plano de Suprimento Sustentável (PSS) integrado ao licenciamento ambiental. - Foto por: Secretaria Adjunta de Licenciamento Ambiental/Sema-MT
Essas normativas visam aprovar e regulamentar o Plano de Suprimento Sustentável (PSS) integrado ao licenciamento ambiental.

A Câmara Técnica Florestal aprovou nesta semana, durante a 10ª reunião ordinária, as propostas de minutas de alteração da Lei Complementar Estadual 233/2005 e do Decreto 8.188/2006, que instituiu a Política Florestal em Mato Grosso. Essas normativas visam aprovar e regulamentar o Plano de Suprimento Sustentável (PSS) integrado ao licenciamento ambiental. As minutas serão encaminhadas à Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema) para continuidade das formalizações para sua publicação.

Conforme a secretária adjunta de Licenciamento Ambiental e Recursos Hídricos, Mauren Lazzaretti, o Estado vai implantar de forma inédita o PSS, que esteve em fase de estudo pela Câmara Técnica Florestal ao longo do último ano. “Essa modernização da legislação vai permitir a expansão do setor de floresta plantada, de forma que ele possa abastecer as grandes empresas que utilizam matéria-prima florestal, como lenha, tora e carvão".

Após a publicação das normativas, as novas regras se aplicam de imediato a novos empreendimentos e aos que já estão instalados foi previsto prazo de até 2 anos para apresentação junto à Secretaria de Estado de Meio Ambiente (Sema). Elas serão aplicáveis às pessoas física/jurídica com consumo superior a 24 mil estéreos/ano; ou 8 mil metros de carvão vegetal/ano; ou 50 mil m³ de toras/ano.

Com a publicação do novo decreto, as empresas ficarão obrigadas a manter ou formar, diretamente ou em participação com terceiros, florestas destinadas a assegurar a sustentabilidade por meio do PSS em um período de até 10 anos, abrangendo inclusive as futuras expansões que deverão ser renovadas a cada período.

Participaram da reunião que ocorreu na terça-feira (05.12), na sede do Cipem, no complexo Fiemt, representantes do Arefloresta, Sema, Cipem, Sedec, CAB, Amef, Ordem dos Advogados do Brasil (OAB/MT) e Faculdade de Engenharia Florestal (FEN/UFMT).



0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
O que você acha que deve ser feito com os carrinhos de lanche em PVA?
Devem ser retirados das avenidas!
Devem permanecer onde estão!
Devem ficar todos na Praça de Eventos!
Devem ser realocados para as praças da cidade!