Meio ambiente /

Sexta-feira, 16 de Junho de 2017, 11h:10

A | A | A

Cuidados simples garantem a diversão nas festas juninas

Confira as dicas de segurança para aproveitar os tradicionais festejos, principalmente com relação ao uso do fogo


Imagem de Capa
Mayke Toscano/Gcom-MT

“No Brasil, no mês de junho

Tem foguete, tem quentão

Tem quadrilha e roupa bonita

Milho e reza pra São João

Menina vestida de chita

Santo Antônio no coração

 

Mas pra diversão ficar completa

Não podemos abusar

Muito cuidado com os fogos

Porque pode se queimar

O alerta é pra todos

Pra festa não acabar”

 

O repente é animado, mas não é brincadeira. Com festas juninas ocorrendo entre os meses de junho e julho em todo o estado, o Corpo de Bombeiros e o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (Samu) fazem um alerta sobre o risco de queimaduras pelo manuseio de fogos de artifício, fogueiras, bombinhas e os chamados “estalinhos”.

Segundo o Corpo de Bombeiros, todos esses artefatos podem causar queimaduras e lesões graves em membros, olhos e ouvidos, caso não sejam manuseados corretamente. Além disso, existe o risco de incêndio pelo armazenamento e direcionamento incorreto, como no caso dos fogos de artifício.

Para evitar acidentes, a orientação é armazenar o material em local seguro, longe de qualquer fonte de calor e não permitir o acesso de crianças. O manuseio deve ser feito por pessoas acima de 18 anos, que devem estar sóbrias e obedecer às instruções que constam na embalagem de cada produto.

A queima dos fogos, independente da classe de cada produto, deve ser realizada em local afastado, distante do público, casas e fiação de energia elétrica. Em caso de falha no explosivo, não se deve direcionar o produto para o rosto ou para outra pessoa, como alerta o tenente Bombeiro Militar, Janisley Teodoro, pois pode haver um retardo na explosão.

“A maior parte dos acidentes acontece por descuido no manuseio ou falha no explosivo. Além de ocasionar queimadura, o mau uso do foguete pode resultar em amputação de mãos, cegueira e danos à audição”, explica. Ele acrescenta que o risco de queimaduras e lesão nos olhos e ouvidos também existe com as bombinhas e estalinhos, caso não sejam usados corretamente.

Fogueiras

No caso específico de fogueiras, o Corpo de Bombeiros lembra que é proibido atear fogo em área urbana em qualquer época do ano, ou seja, quem acender fogueira está sujeito à punição. A fiscalização, nesses casos, é de competência dos municípios. 

Para não correr risco de ser penalizado, o comandante do Batalhão de Emergências Ambientais do Estado (BEA-MT), tenente coronel Paulo Barroso, afirma que o ideal é que o organizador da festa junina procure o órgão ambiental do município para saber como proceder em caso de fogueira para uma festividade tradicional.

Já para quem mora em comunidade rural e quer manter a tradição, é necessário seguir as orientações do Corpo de Bombeiros. A principal delas é realizar a fogueira longe de residências e de produtos inflamáveis. Também é indicado limpar a área ao redor (aceiramento) para evitar que as chamas se alastrem. No fim da festa, ao apagar o fogo, é importante jogar água e enterrar as cinzas.

Primeiros socorros

Em casos de queimaduras, o primeiro procedimento é afastar a vítima da fonte de calor e avaliar a extensão da lesão, como orienta a gerente médica do SAMU em Cuiabá, Ingrid Rodrigues. “Feito isso, a orientação é mergulhar a área queimada em água limpa e fria para alívio da dor e, após resfriar a área, envolve-la em pano limpo e encaminhar a vítima para o hospital”, completa.

Pelo número 192, o SAMU oferece orientações de como proceder nos primeiros socorros. O usuário deve relatar ao médico regulador o máximo de informações sobre o acidente e sobre as lesões. Segundo Ingrid, queimaduras em até 15% de área corporal podem ser consideradas de baixo risco, exceto se ocorrerem em pescoço e na face. A mensuração da área pode ser feita tomando como base a palma da mão, que equivale a 1%.

Mas, independente do tamanho da lesão, a especialista alerta para os procedimentos que não devem ser realizados, entre eles: utilizar cremes, pomadas, pasta de dente, pó de café ou qualquer outro “remédio” caseiro, não estourar as bolhas, nem colocar gelo sobre a queimadura.



0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas

21/05 - Na noite do último sábado, 19, os holofotes estavam voltados para o casal Rosi e Moacir Quaini que celebrou 30 anos de união com pomposa festa, no centro de eventos Primacredi. A romântica história de amor que teve inicio em 1988, na Catedral do Divino Espirito Santo, em Cruz Alta- RS, foi reafirmada, dessa fez com a presença dos frutos da união, os filhos Leonardo e Letícia Quaini. Há cerca de aproximadamente um ano juntamente com a cerimonialista Sibeli Salvatori os noivos começaram a organizar a noite que será eternizada para sempre. Profissionais de mão cheia foram convocados para a suntuosa comemoração. A décor Silvânia Costa traduziu toda a magnitude da celebração nos detalhes da imponente decoração em tons de branco, verde e champanhe. O buffet foi assinado pela requisitada Mirian Avila, e o repertório musical ficou por conta da banda Comunicasom que animou os convidados até altas horas da matina. Os filhos Letícia e Leonardo não conteram as lágrimas ao proferirem homenagem aos pais expressando todo amor, carinho e gratidão ao voltarem ao tempo e relembrar, como a união pautada no amor e cumplicidade vence os desafios do tempo. A bênção de renovação dos votos de amor e fidelidade foi ministrada pelo frei Constantino e testemunhada por em torno de 250 convidados que celebraram o momento ímpar com a família que esbanjou felicidade do começo ao fim da noite. As fotos oficiais foram registradas pelas criteriosas lentes do cuidadoso e atento fotógrafo Marcello Holanda. Nossa coluna hoje é exclusiva em homenagem a badalada Bodas de pérola e destaca momentos de emoção dos queridos Rosi e Moacir Quaini que distribuíram abraços e sorrisos durante toda a comemoração. Confiram!

Você é a favor ou contra a revitalização das Avenidas de Primavera?
A favor.
Contra.
Não tenho opinião formada sobre o assunto.