Economia /

Quarta-feira, 30 de Maio de 2018, 11h:06

A | A | A

Trabalhadores devem sacar o abono salarial ano-base 2016 até o dia 29 de junho

shutterstock Empregados da iniciativa privada, vinculado ao PIS, sacam o abono salarial na Caixa Econômica Federal Os trabalhadores que ainda não...


Imagem de Capa

Brasil Econômico

Empregados da iniciativa  privada, vinculado ao PIS, sacam o abono salarial na Caixa Econômica Federal
shutterstock
Empregados da iniciativa privada, vinculado ao PIS, sacam o abono salarial na Caixa Econômica Federal

Os trabalhadores que ainda não sacaram o abono salarial ano-base 2016 têm até o dia 29 de junho para ir ao banco e resgatar o benefício. De acordo com o Ministério do Trabalho, não há previsão de prorrogação do prazo, e ao menos dois milhões de pessoas com direito ao pagamento não sacaram os valores que totalizam R$ 1,75 bilhão.

Leia também: Desemprego apresenta melhora em um ano, mas ainda atinge 13,4 milhões de pessoas

Praticamente metade do benefício ainda disponível está retida na região Sudeste, onde mais de um milhão de trabalhadores ainda não resgatou o abono salarial

Desde 27 de julho de 2017 até agora, mais de 22,1 milhões de trabalhadores sacaram o abono, o que representa 90,29% do total dos beneficiários. Segundo o balanço do ministério, até o dia 30 de abril deste ano, mais de R$ 16,38 bilhões foram injetados na economia por causa disso.

Mas o que acontece com o dinheiro que não for resgatado?

O ministro do Trabalho, Helton Yomura, explica que o valor ignorado pelos trabalhadores será destinado para o Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), para o pagamento de Seguro-Desemprego e para o abono salarial do próximo ano-base. Com isso, nada sobra.

“Se você se enquadra no perfil dos trabalhadores que têm direito ao benefício, não deixe de procurar uma agência bancária e verificar se tem dinheiro para receber. Não corra o risco de não conseguir sacar o benefício por ter deixado de checar se tinha direito a ele”, orienta o ministro.

Leia também: PIB cresce 0,4% no primeiro trimestre de 2018 e soma R$ 1,641 tri, aponta IBGE

Para ter direito ao abono salarial do PIS/Pasep ano-base 2016 é preciso:

  • Ter trabalhado formalmente pelo menos um mês em 2016;
  • Ter recebido uma remuneração média de até dois salários mínimos;
  • Estar inscrito no PIS/Pasep há pelo menos cinco anos antes de 2016;
  • Ter os dados informados corretamente pelo empregador na Relação Anual de Informações Sociais (Rais).

Como é feito o cálculo do benefício e onde receber?

O valor é determinado de maneira bem simples, basta fazer uma simples regra de três. A quantia que cada trabalhador irá receber é proporcional ao número de meses que ele trabalhou formalmente no ano-base e varia de R$ 80 a R$ 954.

Com isso, quem trabalhou registrado apenas 30 dias tem direito a receber o valor mínimo, ou seja, 1/12 da quantia. Agora se o beneficiário trabalhou entre cinco e 12 meses, ele deve receber respectivamente 5/12 ou 12/12, que equivale aos R$ 954.

Leia também: Reforma trabalhista põe Brasil em lista da OIT por violar normas internacionais

Vale destacar que os empregados da iniciativa privada, vinculados ao PIS, sacam o abono salarial na Caixa Econômica Federal, enquanto que os funcionários públicos devem resgatar o benefício no Banco do Brasil.

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
Você é a favor ou contra a revitalização das Avenidas de Primavera?
A favor.
Contra.
Não tenho opinião formada sobre o assunto.