economia /

Quarta-feira, 09 de Agosto de 2017, 15h:11

A | A | A

Conheça o Favela Business, canal que incentiva o empreendedorismo nas periferias

Empreendedorismo e representatividade: saiba mais sobre o projeto que mostra e incentiva o mundo dos negócios nas favelas de São Paulo


Imagem de Capa
Gravações do episódio com  Iris e Anne, que fomentam o empreendedorismo através do brechó Original Favela
Divulgação/Favela Business
Gravações do episódio com Iris e Anne, que fomentam o empreendedorismo através do brechó Original Favela

Segundo dados da consultoria Data Popular, em 2015, os negócios movimentados entre os 12,5 milhões de moradores de favelas geraram uma renda anual de R$ 68,5 bilhões - alta de 56% nos últimos 10 anos. Entretanto, ainda há dificuldades no conhecimento de negócios fomentados nesses espaços. A fim de visibilizar o empreendedorismo nas periferias um grupo de jovens pertencente a essas comunidades resolveu mostrar a riqueza escondida nesses locais.

Leia também: Conheça Paulo Zahr, o dentista "Casas Bahia" que inovou no modelo de negócios

Usando o jornalismo e o audiovisual como principais recursos, Jeferson Delgado e Heloísa Ferreira, ambos de 19 anos, criaram o Favela Business , canal no YouTube que tem como objetivo falar e fomentar o  empreendedorismo nas periferias, seja ele voltado  para a música, moda, dança, comércio e demais atividades. 

Jeferson, idealizador do projeto, designer e estudante da escola de jornalismo ÉNÓIS, nasceu e cresceu na periferia da zona Sul de São Paulo. O olhar empreendedor sempre acompanhou o jovem, que em 2016, teve o primeiro contato com o audiovisual e com a fotografia, por conta de um projeto de música dentro da universidade onde fazia cursinho. Com a ajuda de um amigo, começou a operar os equipamentos e a se interessar cada vez mais pelo assunto.

Todo o conhecimento adquirido se transformou na ideia de criar um canal que mostrasse a vida de pessoas periféricas e negras que querem construir ou que já possuem um negócio. Com a ajuda de Heloísa, estudante de gestão de turismo que conheceu no Núcleo de Consciência Negra (NCN), localizado na Universidade de São Paulo (USP), o projeto tomou forma. Atualmente, a jovem da zona Oeste cuida da produção, edição e direção de fotografia do canal.

Leia também: Gosta de ler? Confira os livros de negócios mais vendidos em julho

“Entendemos que ter pessoas bem sucedidas dentro da própria quebrada e dar visibilidade a elas é uma forma de incentivar aqueles que também têm sonhos. Isso pode dar forças para alcançar um objetivo. Entrevistamos pessoas que enfrentaram muita dificuldade na vida, mas que hoje conseguem viver bem. A periferia é um lugar muito marginalizado, é deixada no esquecimento por governantes e só quem vive lá consegue entender. Muitos jovens deixam de estudar por falta de incentivo e a vida do crime também é bastante atrativa para alguém que não tem esperanças. Porém, divulgar trabalhos de pessoas periféricas pode ajudar a recuperá-la e a enfrentar os desafios que são impostos”, afirma Heloísa.

 Incentivo

As entrevistadas Anne e Iris, com Jeferson e Heloísa, idealizador e editora chefe do Favela Business
Divulgação/Favela Business
As entrevistadas Anne e Iris, com Jeferson e Heloísa, idealizador e editora chefe do Favela Business

O Favela Business ainda não gera lucro. Ele é mantido com o orçamento pessoal da equipe. Entretanto, houve a monetização do canal, para que ele possa trazer ganhos futuros e continuar buscando transformar a economia nas favelas a partir do incentivo e da divulgação de notícias e promoção de eventos de pequenos empreendedores, além de motivar e engajar os moradores.

“A economia e o empreendedorismo nas favelas são muito afetados pelas diversas crises que o País passa. Com as recentes reformas criadas, fica quase impossível ser bem sucedido ou se erguer diante de tantos obstáculos. Mas com o projeto em ação, passamos a receber muitas mensagens de pessoas que se sentiram representadas e motivadas, que querem muito construir o próprio empreendimento , seja em qual área for. O nosso projeto ainda não é tão grande, mas futuramente pode ter um alcance incrível. É importante mudar essa história", conclui Heloísa.

Leia também: Aplicativo colaborativo ajuda consumidor à economizar na hora da compra, confira

0 Comentário(s)
Nenhum comentário ainda, seja o primeiro!
Edição impressa
imagem
os maiores eventos e coberturas
O que você acha que deve ser feito com os carrinhos de lanche em PVA?
Devem ser retirados das avenidas!
Devem permanecer onde estão!
Devem ficar todos na Praça de Eventos!
Devem ser realocados para as praças da cidade!